Gonzalo Latorre

Latorre veio para o Cruzeiro na negociação da Raposa com o Defensor-URU para trazer Arrascaeta- Foto: Gabriel Duarte

Valinor Conteúdo
08/05/2019
18:50
Belo Horizonte

O Cruzeiro comunicou na tarde desta quarta-feira que quitou um débito de 18,5 milhões de reais devidos ao Atenas-URU. Latorre chegou ao Cruzeiro em 2015, por cerca de R$ 12 milhões à época, como “contrapartida” para a transferência do meia Arrascaeta ao time mineiro. O contrato de Latorre se encerra no fim de 2019.

Latorre, que nunca jogou pelo time celeste, e treina em separado, teve algumas propostas de outras equipes, mas recusadas pelo jogador. O atacante recebeu propostas de Remo e Fortaleza e passou a temporada de 2018 treinando na Toca da Raposa, em horário diferente do time profissional.

Outro indício do mau negócio é que a contratação de Latorre rendeu um processo contra o Cruzeiro na Fifa, por causa da dívida do time mineiro junto ao Atenas, clube que negociou os direitos econômicos do atleta, e juros pelo atraso no pagamento. Confira o comunicado da Raposa.

Com o compromisso de fazer do Cruzeiro um clube cada vez mais forte e transparente, a diretoria celeste, através do presidente Wagner Pires de Sá, quitou a dívida referente ao atleta Gonzalo Latorre junto ao Atenas, do Uruguai, de aproximadamente R$ 18 milhões e 500 mil.

O jogador uruguaio foi adquirido no ano de 2015, pela gestão anterior do Clube, e a dívida referente ao atleta chegou às esferas judiciais da Fifa.
Para evitar que o Cruzeiro sofresse qualquer tipo de sanção esportiva no futuro, a diretoria cinco estrelas efetuou o pagamento, com o objetivo de manter o nome da instituição com credibilidade no mercado, algo que faz parte da tradição do Clube.

Wagner Pires de Sá informa ao torcedor cruzeirense que sua diretoria está trabalhando firme e arduamente para que dívidas como esta sejam quitadas e equacionadas, e para que o Cruzeiro continue sendo uma das marcas mais respeitadas e uma das grandes potências do futebol sul-american
o.