O Conselho do Cruzeiro é presidido por Zezé Perrela, à direita, que também comandou o clube por vários anos

Perrela foi favorável à atual diretoria em diversos momentos, como na aprovação das contas do Cruzeiro de 2018-Divulgação Cruzeiro

Valinor Conteúdo
29/05/2019
17:07
Belo Horizonte

A crise no Cruzeiro ganha novos contornos com após as denúncias de irregularidades financeiras apontadas pelo Fantástico, da TV Globo, no último domingo, 26 de maio.

O presidente do Conselho Deliberativo do clube, Zezé Perrella, que também já foi mandatário da Raposa anos anos 1990 e 2000,, se pronunciou e anunciou as primeiras ações para apurar a situação real do clube.

Perrella, em ofício emitido nesta quarta-feira, 29 de maio, deu um prazo de cinco dias para a diretoria do Cruzeiro apresentar a documentação que não entregue ao então conselho fiscal do clube, além de criar uma comissão formada por três conselheiros que irá acompanhar acompanhar as apurações do caso e apresentarão um relatório em 30 dias com propostas efetivas para serem avaliadas e tomadas pelos membros do conselho.

Outra ação de Perrella, com a renúncia do conselho fiscal do clube, devido as divergências com a diretoria, foi marcar nova eleição para os cargos que estão vagos. O pleito será no dia 13 de junho, às 18h, na sede do Barro Preto, região centro-sul de BH.

Aliados de outras jornadas

Zezé Perrella voltou à política do Cruzeiro após deixar o cargo de senador da república, se candidatando ao cargo de presidente do conselho deliberativo e apoiou a chapa encabeçada por Wagner Pires de Sá nas eleições de 2017, quando derrotou o candidato apoiado por Gilvan de Pinho Tavares, ex-presidente do clube.

Durante o mandato da atual diretoria, Perrella sempre foi aliado de Pires de Sá nos temas envolvendo o clube, inclusive na aprovação do balanço de 2018, que gerou polêmica e divergências entre o conselho fiscal do clube e alguns conselheiros.