O time do Cruzeiro teve uma melhora, mas ainda está aquém do que se espera da equipe na Série B

O time do Cruzeiro teve uma melhora, mas ainda está aquém do que se espera da equipe na Série B-(Bruno Haddad/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
02/09/2020
23:32
Belo  Horizonte

O Cruzeiro se complicou ainda mais na Série B do Brasileiro ao ser derrotado pelo Brasil de Pelotas, no Rio Grande do Sul, por 1 a 0, gol de Gabriel Poveda. Foi a terceira derrota da Raposa na competição, enquanto o time gaúcho conseguiu seu primeiro triunfo.

O resultado colocou os mineiros na “beirada” do Z4, com quatro pontos, sendo o primeiro time fora da zona do rebaixamento, em 16º. Já o Brasil deixou a zona da degola, chegou a 13º, e respira, pois vinha sendo muito pressionado por sua torcida, que protestou bastante durante a semana.

Em mais uma jornada de pouca força no ataque e ainda com um vacilo na defesa, o Cruzeiro teve até uma pequena melhora na performance, porém sem conseguir converter em gols as chances criadas, apesar de um volume maior de jogo.

Já são cinco jogos do time celeste sem vencer, quatro pela Série B e um na Copa do Brasil. O Cruzeiro conseguiu “ajudar” a melhorar o ambiente do Brasil, que venceu apenas cinco jogos dos últimos 30 disputados.

Chutou, chutou e nada…

O Cruzeiro arrematou ao gol dez vezes contra apenas duas do Brasil. Teve uma chance clara com Arthur Caíke, que isolou. O primeiro tempo celeste foi de domínio contra um time frágil, em crise. Todavia, apesar de melhorar com a presença de Maurício mais centralizado, Jadsom dando suporte para o meio de campo e Airton, agudo no ataque, A Raposa continua espaçada, com poucas ações de tabelas, triangulações.

Porém, a entrada do trio citado acima já indica que o Cruzeiro pode ter sim esperança de uma evolução geral da equipe. Principalmente no setor ofensivo, tão defasado nesta Série B.

Arthur Caíke ganha “corpo” no Cruzeiro

O atacante está tendo boa movimentação, dá opções para jogadas de tabela e ainda se tornou o cobrador oficial de faltas da Raposa, algo muito em falta não só no time mineiro, mas em várias equipes do futebol brasileiro.

Airton, o “quebrador” de linhas

O jovem vindo da Inter de Limeira fez seu segundo jogo bom, com velocidade e sempre em direção ao gol, sem medo de tentar o drible, quebrando a marcação do adversário. Ele teve uma boa chance no primeiro tempo e em outra arrancada, obrigou o goleiro do Brasil e fazer uma grande defesa.

Marcelo Moreno não consegue ser o “dono” do ataque

Esperança de gols e liderança do jovem time do Cruzeiro, Moreno não vem correspondendo e até contra uma equipe frágil como o Brasil de Pelotas, não conseguiu se impor perante a zaga para finalizar mais ao gol ou servir aos companheiros.

Raposa chuta 15 vezes e nenhum gol. Brasil tentou cinco vezes e a bola entrou

O time de Enderson Moreira arrematava para o gol. mas não tinha eficiência. Até metade do segundo tempo, foram 15 chutes ao gol rival. Em um raro bom lance do Brasil-RS, Rodrigo Ferreira fez um bom cruzamento para Gabriel Poveda, que “fuzilou” para a meta de Fábio, que nada pôde fazer. Os gaúchos abriram o placar e aumentaram o calvário celeste.

Criatividade da Raposa continua em falta

Sem boa articulação no meio de campo, dependente de lances individuais do seus atacantes. Assim pode ser resumido o poder ofensivo do Cruzeiro na Série B. O problema já vinha desde a fase final do Campeonato Mineiro e se intensificou, ficando mais evidente com a disputa da competição nacional.

Próximos jogos

O Cruzeiro volta a campo na segunda-feira, 7 de setembro, às 20h, contra o CRB, no Mineirão. Já o Brasil-RS, joga no dia 5, contra o Náutico, no Estádio Bento Freitas, às 21h. Os dois jogos são pela oitava rodada da Série B.
FICHA TÉCNICA

BRASIL DE PELOTAS-RS 1 X 0 CRUZEIRO
Data-Horário: 2 de setembro, às 21h30
Estádio-Local: Bento Freitas, Pelotas(RS)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: Lehi Sousa Silva e Lucas Costa Modesto (ambos do DF
Cartões amarelos: Luiz Henrique(BRA), Airton(CRU), Lázaro(BRA), Cacá(CRU)
Cartões vermelhos:

Gols: Gabriel Poveda, aos 22’-2ºT(1-0)


Brasil de Pelotas: Rafael Martins, Rodrigo Ferreira. Lázaro, Leandro Camilo e Bruno Santos; Sousa, Bruno Matías (Hérverton, aos 43’-2ºT), Gegê(João Ananias, aos 34’-2ºT), Matheus Oliveira(Jarro, aos 18’-2ºT); Danilo Gomes(Alex Ruan, aos 44’-2ºT) e Luís Henrique(Gabriel Poveda, aos 18’-2ºT). Técnico: Hemerson Maria

Cruzeiro: Fábio; Raúl Cáceres, Léo, Cacá e Matheus Pereira; Henrique(Filipe Machado,aos 31’-2ºT) Jadsom e Maurício(Régis, aos 21’-2ºT); Arthur Caíke(Claudinho, aos 31’-2ºT), Airton(Thiago, aos 40’-2ºT) e Marcelo Moreno(Roberson, aos 40’-2ºT). Técnico: Enderson Moreira