Itair

Itair teria ameaçado Vicentin, que fez boletim de ocorrência na época- Vinnicius silva/Cruzeiro

Valinor Conteúdo
14/02/2019
19:27
Belo Horizonte

Não bastasse os problemas fora de campo, com as dificuldades financeiras do Cruzeiro, mais um contratempo pode atingir um dos seus mais altos dirigentes. A 8ª Promotoria de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) ofereceu denúncia, no dia 11 de janeiro, contra o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, por uma suposta ameaça de morte ao ex-dirigente celeste Bruno Vicintin, em 2017.

De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério Público Mineiro, a denúncia oferecida está embasada no artigo 147 do Código Penal, que versa sobre ameaça à alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave. A pena para esse tipo de delito varia de detenção de um a seis meses ou multa.

Haverá uma audiência entre as partes, marcada pelo MP para o dia 16 de abril, e poderá resultar na suspensão do processo. Caso o réu aceite a proposta, o processo será suspenso por dois anos (o prazo prescricional fica suspenso).

Na explicação do Ministério Público, Itair só poderá aceitar a proposta caso não esteja respondendo a outro processo e se não tiver nenhuma condenação. Além disso, segundo o artigo 89 da Lei 9.099/95, o acusado tem que reparar a vítima do dano e pode ser proibido de frequentar determinados lugares e de sair da comarca onde reside, sem autorização do juiz.

Três audiências já foram marcadas na tentativa de composição cível e transação penal, nos dias 27 de julho, 25 de setembro e 4 de dezembro de 2018. De acordo com o MP, o réu não compareceu em nenhuma delas, enviando apenas advogado. A suspensão do caso só pode ser aceita pelo acusado e seu advogado, na presença do juiz.

Vicentin x Itair

A disputa entre os dois dirigentes se iniciou em novembro de 2017, pouco antes da disputa eleitoral no Cruzeiro, em que Bruno Vicentin, que era opositor da chapa encabeçada por Wagner Pires de Sá, disse que foi ameaçado por Itair Machado durante chamada para o telefone do antigo primeiro vice do clube, José Francisco Lemos Filho, durante uma reunião que contou com membros da diretoria anterior e atual do Cruzeiro e do conselho deliberativo.
Vicentin fez um boletim de ocorrência dez dias depois da discussão. Itair negou a ameaça a Bruno Vicintin e disse que iria entrar com uma representação contra ex-dirigente por calúnia e difamação.
O boletim de ocorrência registrado por Bruno Vicintin em 2017

Senhor delegado de polícia, a vítima comparece a esta unidade policial informando que:

Em reunião na Sede Administrativa do Cruzeiro Esporte Clube, realizada no dia 13/11/2017, na presença das testemunhas relacionadas em campos específicos, o autor em ligação telefônica com a testemunha José Lemos, proferiu os seguintes dizeres: "... Lemos, eu odeio o senhor Bruno Vicintin e quero que você dê o recado a ele, que se ele não parar de falar de mim na internet eu vou matar ele." Conforme se expressa.

Destarte, a vítima informa que tal ameaça foi repetida pelo senhor Lemos que repassou as falas do autor a todos presentes na sala da citada reunião.

Insta salientar que a vítima cientificada com relação a condição da reapresentação por se tratar de crime condicionado a representação da vítima, e manifesta aqui seu interesse em dar seguimento ao presente feito.

Registra-se para que sejam tomadas as medidas pertinentes que Vossa Senhoria julgar pertinente a análise dos fatos supra narrados.