Atlético MG x Cruzeiro

O time azul vence o Galo pela segunda vez em 2019 em uma disputa de mata-mata (Mourão Panda/Ofotografico)

Valinor Conteúdo
17/07/2019
22:30
Belo Horizonte

A pressão que o Cruzeiro vive nos últimos dois meses pelas questões externas do clube, com denúncias de possíveis crimes, além do desempenho franco no campo, estava em um nível tão alto, que uma queda para o Atlético-MG na Copa do Brasil poderia determinar um aumento da crise da Raposa, imensurável.

Com a classificação na mão, e a chegada pela quarta vez seguida nas semifinais da Copa do Brasil, o time celeste ganha um fôlego para as próximas competições, Brasileiro e Libertadores, e até um grau maior de paciência da torcida, já que superar o maior rival tem um valor grande para o cruzeirense. É como um campeonato à parte, parafraseando o ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda.

O técnico Mano Menezes exaltou a classificação, mas chamou a atenção que o Cruzeiro conseguiu sua passagem de fase no jogo de ida, quando fez 3 a 0 sobre o Galo, no Mineirão.

-Ganhamos nossa classificação na quinta passada, quando todos esperavam que não tivéssemos uma resposta daquela para dar. Futebol não pode subestimar o seu adversário. Estamos levando essa classificação, pois jamais subestimamos o Atlético, mesmo tendo a vantagem- disse o treinador.

O técnico da Raposa também viu no triunfo diante do Atlético-MG um alívio para o clube e claro, para o elenco celeste, que vinha pressionado pelo mau desempenho em campo no Brasileiro e Libertadores.

-Não tenha dúvida, que quem saísse dos dois classificados sairia com a moral elevada. Penso que mais uma vez o Cruzeiro, mais uma vez, soube valer essa condição de mais experiente-concluiu.

A Raposa tenta agora se recuperar o Campeonato Brasileiro, onde ocupa a 17ª posição na classificação, com nove pontos em 10 partidas. No sábado, 20 de julho, o time azul tenta deixar a zona da degola ao encarar o Bahia, em Salvador, pela 11ª rodada do nacional.