Foi o primeiro balanço da administração de Wágner Pires de  Sá, à esquerda, que iniciou o seu mandato em janeiro do ano passado

Wagner Pires de Sá e Itair Machado são os principais alvos das denúncias de irregularidades financeiras no Cruzeiro-(Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
09/07/2019
12:07
Belo Horizonte

A diretoria do Cruzeiro lamentou a operação policial envolvendo o clube na manhã desta terça-feira, em que a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na sede administrativa do clube, na Toca da Raposa II e nas casas do presidente Wagner Pires de Sá, do diretor geral, Sérgio Nonato, mos galpões da Máfia Azul, torcida organizada, e do vice de futebol, Itair Machado.

O clube não aprovou a ação justamente na semana em que encara o Atlético-MG, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, na quinta-feira, 11 de julho, no Mineirão. A Raposa manifestou seu descontentamento com a situação por meio de nota oficial.

A operação da Polícia Civil é o seguimento do inquérito aberto pela corporação para averiguar as denúncias de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, uso de empresas de fachada, vendas ilegais de direitos de jogadores, incluindo um menor de idade. Os policiais levaram computadores e documentos nas buscas.

Segundo a assessoria da Polícia Civil, a corporação emitirá nota para explicar as diligências cumpridas nesta terça-feira e concederá coletiva de imprensa ao final da investigação, ainda sem previsão de término. A operação é realizada pela Divisão Especializada de Investigação de Fraudes da Polícia Civil.

Veja na íntegra a nota da diretoria cruzeirense

A diretoria do Cruzeiro Esporte Clube vem a público manifestar seu apoio às apurações das denúncias feitas pelo programa Fantástico, da Rede Globo, no dia 26 de maio passado.
O Clube informa que entregou às autoridades toda a documentação solicitada para a investigação.

Lamentamos apenas que este fato esteja acontecendo exatamente às vésperas de uma decisão importante na Copa do Brasil.

O Cruzeiro Esporte Clube informa que continuará à disposição das autoridades competentes para quaisquer tipos de outros esclarecimentos necessários.
Belo Horizonte, 9 de julho de 2019.

A operação acontece faltando dois dias para o primeiro clássico pelas quartas de final da Copa do Brasil, contra o maior rival, Atlético-MG, quinta-feira, 11 de julho, às 20h, no Mineirão.