Joel voltou ao time do Cruzeiro após passar por outros clubes e quase encerrar a carreira por um problema no coração

Joel está à disposição de Abel Braga para o duelo contra o Fortaleza, no sábado, 26, às 21h, no Mineirão- (Vinnicius Silva/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
24/10/2019
19:53
Belo Horizonte

O atacante camaronês Joel está tendo uma nova chance no Cruzeiro, não só dentro de campo, mas da vida principalmente. O jogador de 27 anos, quase teve sua carreira no futebol abreviada pelo diagnóstico, que recebeu em junho, antes da disputa da Copa Africana de Seleções de uma anomalia em sua artéria coronária.
O exame que apontou o problema cardíaco tirou Joel da disputa da Copa Africana de Nações, um sonho de criança, segundo ele. Mas, uma reavaliação mostrou que Joel estava apto a jogar e está reconstruindo sua vida no esporte e no Cruzeiro, que é dono dos seus direitos econômicos.

Após voltar de empréstimo, estava jogando no Marítimo de Portugal, Joel foi inscrito no Brasileiro e esteve em campo no duelo contra o Corinthians, no último sábado, na vitória celeste por 2 a 1, em Itaquera, pelo Campeonato Brasileiro.

O camaronês falou na Toca da Raposa II sobre o medo de ter de encerrar precocemente a carreira, mesmo com os médicos da seleção de Camarões darem garantias ao jogador.

-Essa situação aconteceu quando estava longe da família. Estava no Egito e fomos para a Espanha para fazer a pré-temporada para a Copa Africana de Nações. Quando saiu a lista definitiva dos 23 jogadores, inclusive estava na lista, chegamos a fazer exames médicos. E, com esses exames, foi sugerido fazer um exame a mais. Neste exame, tinha alteração na artéria coronária, mas nada que possa me impedir de jogar. Pelo fato de Camarões ter vários casos como esses, a CAF optou por não me deixar disputar esse torneio até ter uma posição muito esclarecida a respeito. Foi mais uma falta de tempo para analisar. Foi uma coisa rápida, superficial-disse o atacante, que explicou como foi o processo de novos exames e liberação para voltar aos gramados.

-Fiz exame 8 horas e meio-dia tinha que ter uma posição. Assim que foi visto anomalia, o Cruzeiro pediu a minha volta e fui para o hospital para fazer vários tipos de exame, passei por vários cardiologistas e sempre todos disseram a mesma coisa. Estava longe da família, minha esposa entrou em desespero, o meu filho ainda é pequeno, não entende bem.

Mas minha família entrou em desespero, porque eles sabiam do sonho que estava tentando realizar disputando a Copa Africana de Nações. Então, disputar um torneio como esse era uma vitória, um sonho que estava sendo realizado. Ver esse sonho interrompido por uma situação médica todo mundo entrou em choque.

Mas os médicos da Seleção de Camarões já me tranquilizaram e disseram que é uma coisa curável. Isso me tranquilizou. Temos vários exemplos como Abidal e Kanu que fizeram intervenções cirúrgicas mais agressivas e voltaram a jogar normalmente. Então, para mim estava muito tranquilo. Tinha certeza que não tinha nada que poderia me prejudicar. Estava andando de cardiologista em cardiologista para ter várias opiniões. Fico feliz por ter dado tudo certo. No final, recebi o laudo do doutor Nabil, que é um dos cardiologistas mais reconhecidos e experientes nesta área. Recebendo esse laudo, tirou qualquer tipo de dúvida e de incerteza. Isso para mim foi uma vitória- explicou.

Joel chegou ao Cruzeiro em 2015, comprado por R$ 2,5 milhões junto ao Londrina por 50% dos direitos econômicos. Além do time do norte do Paraná, ele jogou por Coritiba, Santos, Botafogo, Avaí e estava no Marítimo-POR. Pela Raposa, fez apenas 24 jogos e marcou três gols.