O ataque celeste, comanado por Marcelo Moreno, não foi efetivo diante da Chape

O ataque celeste, comanado por Marcelo Moreno, não foi efetivo diante da Chape-(Bruno Haddad/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
21/08/2020
14:13
Belo Horizonte

Apesar de sair derrotado contra a Chapecoense(1 a 0), no Mineirão, pela quarta rodada da Série B, o técnico do Cruzeiro, Enderson Moreira, viu pontos positivos no time como a entrega da equipe, quando teve mais volume de jogo que o rival, porém sem conseguir ameçar muito o gol de João Ricardo.

O comandante da Raposa preferiu também não ficar intensificando a derrota, preferindo o equilíbrio.

-Na nossa forma de trabalhar, a gente não fica nem comemorando demais as vitórias, nem lamentando demais as derrotas. Foi a primeira derrota da equipe, mas, na minha forma de enxergar o futebol, é uma situação que acontece com todos. A gente tira muitas lições, mas não fica remoendo isso-disse Enderson, que se dirigiu ao torcedor para explicar o revés.

- A gente está chateado, triste, pois queremos sempre entregar para o nosso torcedor os três pontos, uma boa atuação, nem sempre é possível.Mas queria elogiar mais uma vez a entrega e a atuação da equipe na segunda etapa. Acho que a atuação no segundo tempo foi muito digna daquilo que a gente tem trabalhado: uma equipe competitiva, que tentou controlar o jogo, que buscou alternativas, buscou jogadas, que finalizou, que cruzou muitas bolas. Acho que é um caminho que a gente tem que persistir, a capacidade de enfrentamento, de a gente enfrentar o resultado sim como uma situação que acontece no futebol para poder acertar na próxima partida. A questão de ser pouco tempo é uma situação comum no futebol brasileiro e, com a pandemia, se tornou mais comum ainda. Vamos fazer o nosso melhor, com os melhores atletas, com os que tiverem melhores condições para poder iniciar essa partida tão importante no domingo-comentou.

Com apenas sete jogos no comando do time, sendo quatro na Série B Enderson Moreira pediu para analisar o desempenho do time, pois segundo o treinador a equipe ainda está em formação.

- Olha, como qualquer jogo, a gente faz o nosso trabalho e o adversário faz o trabalho dele. Nós tivemos um primeiro tempo muito ruim. Eles tiveram a competência e um pouco de sorte também, que a finalização deles foi uma bola que desviou e acabou encobrindo o Fábio. Isso acontece no futebol. Tivemos bolas muito próximas de poder fazer o gol e, por algum detalhe, ela foi desviada, ela bateu em alguém e acabou não indo para as redes do nosso adversário. Isso faz parte do futebol. A gente tem que ter tranquilidade e busca o caminho. Estamos muito no início ainda. Tem muita coisa ainda para poder evoluir. A gente sabia que a equipe precisava, embora tenha um bom tempo de treinamento, mas é só com os jogos, com a chegada dos atletas, contratações, com tudo que a gente está fazendo nesse período é que a gente vai conseguir fazer que a equipe crie mais confiança, que tenha um jogo ainda mais maduro-explicou, para falar dos altos e baixos da formação do time.

-É um processo que a gente evolui em alguns aspectos, regride em outros. E a gente tem que estar sempre atento para não fazer uma avaliação simplesmente pelo resultado- concluiu.

A derrota deixou o Cruzeiro figura em 11º lugar na tabela com três pontos. A chance para melhorar sua situação na Série B será neste domingo,23 de agosto, às 18h (de Brasília), contra o Confiança, em Sergipe.