Atualmente os clássicos entre Galo e Raposa são divididos na proporção de 90% de ingressos para o mandante e 10% são direcionados ao visitante

Os clássicos em Minas estavam divididos com a proporção de 90%  de torcedores do mandante e 10% do visitante. Os dois clubes decidiram acabar até com essa divisão depois dos confrontos do último domingo-(Reprodução/TV Globo)

Valinor Conteúdo
12/11/2019
18:09
Belo Horizonte

Por ações inconsequentes de torcedores que se dizem amar futebol, um dos maiores clássicos do futebol brasileiro, Atlético-MG e Cruzeiro, não terá a beleza de duas torcidas cantando dentro dos estádios mineiros. Os presidentes de Galo e Raposa, Sérgio Sette Câmara e Wagner Pires de Sá, fizeram uma reunião nesta terça-feira, 12 de novembro, e decidiram que os próximos jogos entre as duas equipes serão disputados com torcida única.

A decisão partiu dos clubes mineiros e não houve interferência do Ministério Público, que vem combatendo a violência nos estádios mineiros com ações de prevenção como proibir organizadas de frequentarem as arenas esportivas, além de ações educacionais.

Nos últimos tempos, o clássico mineiro tinha a divisão de 90% da carga de ingressos para o mandante e 10% eram repassados ao visitante, para evitar confrontos. Porém, os acontecimentos do último domingo, quando atleticanos invadiram uma área de camarote de cruzeirenses, iniciando uma briga generalizada dentro do Mineirão.

Além da briga no estádio, houve conflitos em outros pontos de BH e até um caso de injúria racial cometido por dois torcedores do Atlético-MG contra um segurança da Minas Arena, que gerencia o Gigante da Pampulha. Os dois homens foram identificados e até se apresetaram à polícia civil.

Tanto o Cruzeiro, quanto o Atlético-MG podem ser punidos esportivamente pelo STJD pelos ocorridos. Os dois clubes podem perder pontos, mandos de campo, além de uma multa que pode chegar a R$ 100 mil.