Luis Paulo Rosenberg

Rosenberg deixou a diretoria de marketing do Corinthians (Foto: Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)

Guilherme Amaro
27/02/2019
16:00
São Paulo (SP)

O departamento de marketing do Corinthians acumulou mais um episódio polêmico. Após sofrer críticas internas e dar uma entrevista na qual comparou a venda dos naming rights da Arena Corinthians com uma mulher com Aids, Luis Paulo Rosenberg deixou o cargo de diretor de marketing. De acordo com o comunicado do clube, o presidente Andrés Sanchez acumula a função por enquanto.

O setor pode ter mais outra baixa. O gerente Caio Campos é o alvo de conselheiros corintianos, como revelou inicialmente o Blog do Perrone, no Uol. Isso porque ele é braço direito de Rosenberg, e conselheiros acreditam que ele seguirá os planos do ex-dirigente.

O principal desafio do marketing corintiano é vender os naming rights da Arena. Em entrevistas desde o ano passado, Rosenberg chegou a dizer que tinha negociações em andamento. Andrés também falou em conversas, mas ultimamente tem evitado comentar o assunto e falou em "incompetência". O estádio foi inaugurado em 2014.

O Corinthians voltou a ter um patrocínio master neste ano: o BMG passou a estampar o principal espaço do uniforme, que não tinha um patrocinador fixo desde o fim do contrato com a Caixa Econômica Federal em abril de 2017. Porém, o contrato com o BMG gerou muita polêmica no Parque São Jorge por conta dos valores. Rosenberg anunciou que o clube havia recebido R$ 30 milhões, e depois houve a explicação de que o contrato fixo é de R$ 12 milhões por temporada.

Após a polêmica, o Timão reiterou que os lucros podem ser muitos superiores com as variáveis do contrato, reforçando a certeza de que foi um grande acordo. Isso porque BMG e Corinthians fecharam parceria que renderá ao clube 50% do lucro líquido do banco digital "Meu BMG Corinthians".

Outro assunto que gerou polêmica recentemente foi o lançamento da campanha "Corinthianismo", que fala sobre o relacionamento "religioso" dos torcedores com o clube.