Renato Augusto - Corinthians

Renato Augusto era um sonho antigo da diretoria que se tornou realidade no Corinthians (Foto: Ag. Corinthians)

Alexandre Guariglia e Fábio Lázaro
23/07/2021
07:00
São Paulo (SP)

O torcedor do Corinthians ficou em êxtase na última quinta-feira ao ver o tão esperado anúncio da contratação de Renato Augusto, que retorna ao clube após cinco anos e meio. Mas engana-se quem pensa que a concretização da transferência se deu da noite para o dia, o processo foi lento e se iniciou apenas como um sonho, mas depois de cumpridas as etapas, virou realidade.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja quase 30 bons jogadores sul-americanos sem contrato

Assim, nos tópicos seguintes, o LANCE! conta um pouco do passo a passo e dos bastidores dessa negociação, que teve desfecho positivo para todas as partes envolvidas, aliando desejo do jogador, dos agentes, dos torcedores e do clube.

Sonho improvável

Desde que deixou o Timão, na virada de 2015 para 2016, Renato manteve amizade com os dirigentes corintianos e, principalmente, o carinho pelo clube. Duilio Monteiro Alves, Roberto de Andrade e Alessandro trabalharam com o meia na primeira passagem e conduziram as negociações agora, em 2021. Ambos os lados nunca esconderam o desejo pela volta, mas os valores eram impeditivos para que qualquer conversa avançasse para uma negociação.

Corte na folha salarial corintiana e pandemia

Endividado até o pescoço e bastante afetado pelas consequências da pandemia de coronavírus, o Corinthians precisou exercer uma filosofia de contenção de gastos em 2021 e, com saídas e empréstimos, conseguiu enxugar cerca de R$ 4,5 milhões da folha salarial do clube. Ao mesmo tempo, Renato Augusto não pôde voltar para a China no início deste ano por conta de políticas sanitárias, ficando no Brasil. Enquanto isso, não recebeu salários por seis meses.

Concorrência e consulta inicial

Diante disso, o Corinthians passou a consultar de forma mais concreta a situação de Renato em relação ao clube chinês, ao mesmo tempo em que o Flamengo, com a saída de Gerson, passava a ser um forte concorrente para contratar o meia. As conversas com o clube carioca não evoluíram, enquanto o relacionamento com o Timão passou a fluir, abrindo espaço para negociação e com a possibilidade de rescisão contratual com o Beijing Guoan.

Desejo mútuo de retorno e "namoro" fica sério

A junção de bom relacionamento, preferência do jogador, possibilidade de rescisão e entendimentos financeiros culminou em uma negociação concreta, em que Renato, seus agentes e dirigentes corintianos alinharam valores e apalavraram um acordo para que o meia vestisse novamente a camisa alvinegra. Isso se, obviamente, o desligamento na China fosse efetuado. Algo que sempre foi considerado "sem pressa" e como algo iminente.

Desligamento na Fifa e despedida na China

Em São Paulo procurando imóvel para morar e se estabelecer novamente na capital paulista, Renato Augusto esperava seus agentes conseguirem a liberação de seu contrato na Fifa, tomando como base os seis meses sem receber salários do Beijing Guoan. A entidade máxima deu sinal positivo para o meia, que antes de assinar com o Corinthians quis evitar sair pela "porta dos fundos" e, após acertarem as arestas, o jogador se despediu do clube chinês.

Caminho livre e o tão esperado anúncio

Com acerto financeiro com o Timão, a liberação na Fifa e as arestas aparadas na China, o "só falta assinar" era a realidade da situação. A despedida via rede social, tanto de Renato quanto do Beijing, foi o ato final dessa "novela". Assim, a assinatura pôde finalmente ser realizada pelas partes, abrindo o caminho para o tão aguardado anúncio da contratação, na manhã da última quinta-feira, realizando o desejo do clube, da diretoria, do jogador e da Fiel torcida.

E agora?

Para ver Renato Augusto novamente em campo, os torcedores do Corinthians precisarão esperar um pouco mais, já que a janela para contratações de jogadores que atuam fora do país abrirá apenas em 1º de agosto. Até lá o meia fará uma espécie de pré-temporada, uma vez que não atua desde meados de dezembro do ano passado e precisará de um tempo maior de adaptação, apesar de ter se mantido em forma com um preparador físico particular.