Gustagol e Carille

Gustagol cumprimenta o técnico Carille ao ser substituído na Arena (Foto: Divulgação)

Marcio Porto
14/01/2019
06:15
São Paulo (SP)

Até os últimos dias do ano passado, o Corinthians mantinha uma grande preocupação com a carência de um centroavante, mas o cenário mudou com o início de 2019. Mesmo ainda sem poder contar com o argentino Mauro Boselli, principal contratação da temporada, o técnico Fábio Carille ganhou tranquilidade e ela tem nome: Gustagol. 

O início de ano do centroavante que retornou de empréstimo animou a comissão técnica e aliviou a ausência do experiente argentino, de 33 anos. Gustagol marcou o gol no empate contra o Santos por 1 a 1 no último domingo e teve outras chances. Atuação que refletiu o desempenho que ele já vinha mostrando nos treinos e o fez desbancar Roger, escalado por Carille nas primeiras atividades como titular. 

No primeiro grande teste, Gustagol mostrou mais maturidade no posicionamento tático, segurando os defensores adversários perto da área e um poder de fogo muito maior do que aquele apresentado em 2016, quando foi contratado. A tranquilidade foi um dos fatores mais importantes para sua evolução. O atacante recebeu elogios do técnico e dos companheiros, mas agradeceu a Rogério Ceni, seu ex-treinador. 

- Voltei do Fortaleza mais maduro, bem mais preparado. Tenho que agradecer muito ao Rogério Ceni, por tudo o que ele fez, me ajudou muito lá, hoje estou colhendo os frutos - afirmou o camisa 19.

Gustagol deve iniciar o Campeonato Paulista como titular, já que Boselli ainda está no México e só retorna na próxima sexta-feira. Após o clássico, Carille disse que pretende definir os 11 que iniciam até quarta-feira. 

Além de Gustagol e Boselli, Roger e Jonathas atuam como centroavantes no grupo do Corinthians. A tendência é que pelo menos um dos dois últimos sejam negociados, mais provavelmente Jonathas. Ainda mais se for confirmada a chegada de Vagner Love, que tenta se desligar na Turquia. Enquanto isso, quem sorri é Gustagol.