Corinthians x Fluminense

Jô mostrou vocação para ser amuleto corintiano desde que subiu das categorias de base (Foto: Luis Moura / WPP)

Alexandre Guariglia
27/06/2020
08:00
São Paulo (SP)

De volta ao Corinthians para a sua terceira passagem pelo clube, Jô sempre mostrou que poderia ser um jogador com estrela. Desde cedo deixou sua marca na história da agremiação com gols históricos e decisivos. Não é à toa que dos 38 jogos em que marcou gol com a camisa alvinegra, o time perdeu apenas dois (Mogi Mirim-2005 e Botafogo-2017), um em cada passagem. 

Foram 43 tentos somados entre 2003 e 2005, e em 2017, além da quantidade, que já chamaria a atenção por si só, a importância dessas bolas na rede é ainda maior. Esses gols, como dito acima, foram anotados em 38 partidas oficiais, das quais o Timão saiu vencedor em 29, empatou sete e foi derrotado em duas, ou seja, quando Jô marca, o aproveitamento corintiano é de 82,46% dos pontos.

É um índice altíssimo, principalmente em campeonatos por pontos corridos, como no Brasileirão-2017, em que o Corinthians se saiu campeão. Naquela competição ele marcou em 16 jogos, com 12 vitórias, três empates e uma derrota, para o Botafogo, no Rio de Janeiro, resultando em 81,25% de aproveitamento dos pontos disputados nessas partidas.

E não é só, dos 12 triunfos, ele anotou o gol que garantiu os três pontos em cinco oportunidades, além de ter sido diretamente responsável pelo empate em 2 a 2 com o Athletico-PR, em casa, já que os visitantes abriram o placar, Jô empatou e ainda virou, mas no fim do jogos os corintianos sofreram o empate (Veja vídeo). Não surpreende que ele tenha sido "o cara" daquele campeonato. 

No Paulistão-2017, por sua vez, Jô marcou gols em seis partidas, sendo quatro triunfos (três com gol da vitória) e dois empates (um com gol de empate). Vale lembrar que o atacante anotou pelo menos um gol em cada um dos clássicos da primeira fase do estadual daquele ano, sendo que um deles foi extramente marcante, contra o o Palmeiras, na Arena, a poucos minutos do final do jogo.

Números da segunda passagem (2017) em jogos em que Jô marcou gol:
16 vitórias (8 gols da vitória)
6 empates (1 gol de empate)
1 derrota
​72,3% de aproveitamento

Na primeira passagem, quando ainda era muito jovem, entre 2003 e 2005, Jô já dava sinais de que seria um jogador com estrela. Naquele período foram marcados cinco gols que deram a vitória ao Corinthians, inclusive em um clássico contra o Palmeiras, em 2004, no Morumbi, quando o rival comemorava seu aniversário de 90 anos e entrava como favorito no Dérbi.

O retrospecto do Corinthians naquele Brasileirão-2004 quando Jô marcou é impecável. São seis jogos e seis vitórias, sendo três com gols decisivos do garoto. Ao todo, entre 2003 e 2005, foram 15 partidas com o atacante marcando pelo menos um tento, 13 vitórias, um empate e apenas uma derrota. Aproveitamento impressionante de 88,9% dos pontos disputados.

Se depender da vontade de Jô, isso vai se repetir nesta passagem, que começa em 2020 e tem contrato até dezembro de 2023. Nesse período, o atacante espera atingir as expectativas dos torcedores e do clube.

- Quando você veste essa camisa do Corinthians já está cheio de objetivo e coisa na cabeça, motivação de fazer gols e ganhar títulos. Para entrar na história do clube, precisa ser vencedor. Volto com a mesma mentalidade, fazer gols, ganhar títulos, é isso que faz um jogador ser grande na história do clube - disse o camisa 77 em sua coletiva de apresentação, na última semana.