Cássio e Luan - Corinthians x Fortaleza

Cássio é um dos responsáveis pelo baixo número de gols sofridos em clássicos (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Alexandre Guariglia
29/08/2020
07:00
São Paulo (SP)

Se o ano de 2020 ainda não é o que o torcedor do Corinthians espera, há uma virtude do time que nenhum alvinegro pode reclamar: o desempenho em clássicos na temporada. Até aqui são cinco jogos e nenhuma derrota para rivais, além disso sofreu apenas um gol. É nesta defesa sólida que Tiago Nunes e seus comandados apostam para levar vantagem sobre o São Paulo.

Neste domingo, às 11h, no Morumbi, pela sexta rodada do Brasileirão, será disputado o segundo Majestoso deste ano. O primeiro, pelo Paulistão, no mesmo estádio, terminou empatado em 0 a 0. Resultado que foi possível graças ao sistema defensivo corintiano e ao poder de decisão de Cássio, que fez defesas milagrosas que impediram que o zero fosse tirado do placar.

Antes disso, o Timão já havia enfrentado o Santos, em clássico na Arena Corinthians. Naquele dia a defesa já havia passado ilesa, mas o ataque foi bem melhor. Com gols de Janderson e Everaldo, a equipe de Tiago Nunes teve boa atuação e parecia que engrenaria na temporada, mas acabou decepcionando. Em clássicos, no entanto, os resultados permaneceram muito bons.

Já depois da paralisação por conta da pandemia de coronavírus, foi a vez de enfrentar o Palmeiras, na Arena em Itaquera, logo no primeiro jogo da retomada. Com o rival favorito, os corintianos apostaram em dois fatores cruciais: a defesa forte e o ataque cirúrgico. Sendo assim, Gil abriu o placar no início do primeiro tempo, depois disso o setor defensivo e Cássio (mais uma vez com milagres) foram responsáveis o Verdão e assegurar o 1 a 0 no marcador.

Mas a saga diante do maior rival não terminaria por ali, torcedores e jogadores seriam testados em mais duas oportunidades: na decisão do Paulistão-2020. No primeiro jogo, em Itaquera, um 0 a 0 que ficou marcado pelo baixíssimo nível técnico das duas equipes, que decepcionaram. No entanto, foi mais um clássico em que a defesa corintiana saiu de campo sem ser vazada.

No jogo seguinte, porém, atuando na casa palmeirense, o Corinthians acabou sofrendo seu primeiro gol em clássicos no ano, marcado por Luiz Adriano. Resultado que até o último segundo do tempo normal estava dando o título ao rival. Mas Jô e sua estrela, foi letal e empatou o jogo em cobrança de pênalti que ele mesmo sofreu. A decisão foi para as penalidades e o Alviverde acabou levando a melhor. Ainda assim, porém, os alvinegros permaneceram invictos.

Neste domingo, contra o São Paulo, um time que sob o comando de Fernando Diniz gosta de ter a posse de bola e jogar ofensivamente, o Corinthians provavelmente será mais exigido na defesa e terá oportunidades em contra-ataques, caso a teoria seja vista na prática. Dessa forma, a ideia é usar a velha receita que tem mantido a invencibilidade e a defesa quase ilesa em clássicos.

- Quando você tem a oportunidade, tem a posse de bola para atacar, você tem que ser letal. Acho que esse é o lema, de você saber atacar da melhor maneira e defender. Em contrapartida, contra um time que tem maior posse de bola, teoricamente você sofre mais, você tem que defender muito mais, você saber defender da melhor maneira também e usufruir do contra-ataque - explicou Danilo Avelar em coletiva na última sexta ao comentar sobre o estilo tricolor.

Vale lembrar que o São Paulo também está invicto em duelos com rivais neste ano, com uma vitória sobre o Santos (2 a 1) e dois empates contra Palmeiras e Corinthians, ambos em 0 a 0. Resta saber quem vai se manter sem derrotas em clássicos nesta temporada de 2020: os donos da casa, os visitantes ou mesmo os dois, se mais uma igualdade acontecer. Domingo, às 11h, haverá a resposta.