Cássio e Fagner - Coletiva Convocação

Campeões da Copa América atenderam a imprensa após cinco semanas servindo a Seleção Brasileira (Foto: Divulgação/Twitter)

Yago Rudá
10/07/2019
15:24
São Paulo (SP)

Campeões da Copa América com a Seleção Brasileira, os corintianos Cássio e Fagner deixaram para trás as últimas cinco semanas que passaram com o elenco do técnico Tite e agora estão completamente focados no Timão. Nesta quarta, a dupla se reapresentou no CT Joaquim Grava e falaram sobre a importância da retomada das vitórias no Alvinegro.

- Estávamos focados na Seleção, mas é inevitável não acompanhar (o Corinthians). Vi os jogos e vi os resultados. Esses jogos são para isso mesmo. É para corrigir. Alguns jogadores que não estavam jogando ganharam oportunidade. O Carille viu posicionamento de jogadores. No domingo começa o Brasileiro. No Corinthians temos que pensar no jogo a jogo. Temos que pensar nisso e não fazer projeção a longo prazo. Estou confiante com a nossa equipe e sei que daremos uma resposta boa. Cada jogo é uma decisão para buscarmos os pontos - afirmou o goleiro Cássio.

De fato, a fase do Corinthians não é das melhores. O time é apenas o 10º colocado no Campeonato Brasileiro após nove rodadas (o Timão tem um jogo a menos que seus rivais) e não conseguiu demonstrar evolução durante a parada da Copa América, tendo perdido dois dos três amistosos realizados no período - todos contra equipes da Série B.

Agora, reforçado da dupla convocada por Tite para defender a Seleção Brasileira, a comissão técnica espera conseguir trabalhar aspectos ofensivos da equipe. Reserva de Daniel Alves pela Amarelinha, Fagner ressaltou a importância do período antes do retorno do Brasileirão e da Sul-Americana.

- Sabemos que se cobra muito resultado, mas temos que ver também o desempenho, principalmente pelo fato de ter trocado bastante. Serviu como um teste para ele. Essa semana é a semana que ele vai ter para colocar o time ideal. Essa semana é cheia e ele terá todos os jogadores. Sabemos da importância do jogo do domingo. Vamos crescer e buscar melhorar - pontuou o lateral do Timão.


O Corinthians volta ao campo no próximo domingo, às 16h, contra o CSA pelo Brasileirão. Além de Fagner e Cássio, o técnico Fábio Carille terá o retorno do atacante Everaldo, do meia Jadson e, caso queira, pode escalar o zagueiro Gil para esta partida em Itaquera. 

Confira outros trechos da entrevista:

Experiência de título com a Seleção Brasileira

Cássio: É legal. Somos 23 jogadores na Seleção. Foi muito legal. Fomos campeões por isso também. O respeito foi grande por quem estava jogando. Ganhar um título no nosso país é algo muito bom. Só tenho que agradecer. Tentamos treinar. nos esforçar e ajudar o grupo no que foi preciso. Conseguimos atingir nosso objetivo que era ser campeão.

Fagner: Não existe vaidade em fazer parte de um grupo vencedor. Sabemos o quanto é difícil. Um grupo não se faz apenas com 11. Sabemos do grau de intensidade, de dificuldade. Conseguimos contribuir da melhor forma possível. Nos sentimos campeões da mesma forma como todos. A felicidade é imensa. Agora é virar a chave. Se entregando e fazendo da melhor forma. Vamos colocar o Corinthians onde ele precisa estar.

Intercâmbio com jogadores como Alisson e Daniel Alves
Cássio: Fico muito feliz de poder estar treinando com um cara do gabarito do Alisson. Foi campeão da Champions League e é um cara muito profissional. O Éderson, que é bicampeão da Premier League, também não jogou. Eu não jogo em uma liga tão falada e tão forte como a deles. Eles perguntavam muito sobre as coisas aqui no Brasil. Goleiro é uma posição que sempre precisa estar melhorando. O Brasil sempre teve uma escola bem legal de goleiros. Sempre foram legais comigo, são caras trabalhadores. Foi muito feliz trabalhar com o Taffarel, com o Mauri. Foi muito legal e é algo que fica marcado.

Fagner: É difícil você chegar na Seleção Brasileira. Aprender todos os dias. O Dani é um cara que se dedica muito. A energia dele contagia você a buscar algo melhor. É um cara multicampeão e sempre quer atuar em alto nível. Fico muito feliz de poder ter vivenciado esse período. É algo bom poder viver coisas novas. Fico feliz de ter conquistado o título ao lado dele. É um cara que tem muitos títulos e agora é bola pra frente.

Evolução do Corinthians 
Fagner: Às vezes ele tem uma equipe ideal e não consegue trabalhar essa equipe. Sabemos que é difícil. Temos que voltar agora para assimilar o máximo de informação possível. Acredito que os jogadores que estavam fora têm que buscar fazer um grande jogo. Espero poder ajudar da melhor forma para que ele consiga colocar o time ideal.

Goleiro Walter 
Cássio: É difícil opinar sobre um outro jogador. Não cabe a mim falar sobre isso. Mas posso falar que foi muito bem em todos os jogos. Quando um não pode, o outro joga. O Caíque também jogou muito bem, o Felipe sempre mantém um nível de treinamento alto. Falar sobre ir para outro clube é difícil porque não estou falando sobre mim. É algo dele, com a diretoria e com os empresários dele. Só tenho a elogiar o Walter. Sempre tive uma amizade muito legal. Independente do que aconteça, vou sempre torcer para que ele seja feliz.

Iminente saída de Romero 

Cássio: O Romero sempre foi um cara bacana. Continuou treinando e o Corinthians nunca fechou a porta. O Corinthians foi flexível com ele, no meu ponto de vista. Nunca se escondeu. Pegou vários tipos de situações aqui no Corinthians e foi muito criticado. É um cara que trabalhou, deu a volta por cima e foi vitorioso no clube. Isso não se apaga. Sempre irei respeitá-lo pelo o que fez no Corinthians.

Bruno Méndez 
Fagner:
 Foi muito bem dentro daquilo que um jogador que não vinha atuando e não é da posição. Ele foi muito bem. Fez o trabalho muito bem feito. Às vezes o jogador acaba entrando em uma posição que não é a sua. É difícil. Fica o aprendizado para ele e tenho certeza que ele vai ajudar muito a equipe.