Desembarque do Carille

Carille em sua chegada ao Brasil no aeroporto de Cumbica (FOTO: Márcio Porto)

Marcio Porto
16/12/2018
15:31
São Paulo (SP)

O torcedor do Corinthians que estiver esperando a chegada de jogadores consagrados pode tirar o cavalinho da chuva. Pelo menos no discurso, nem o técnico Fábio Carille conta com a chegada de jogadores de peso. Em sua chegada ao Brasil neste sábado, após se desligar do Al-Wehda, da Arábia Saudita, Carille foi cauteloso ao falar do perfil de reforços e não exigiu estrelas. Ele adiantou que todos os jogadores terão "a cara do Corinthians" e citou o meio-campista Ramiro como exemplo.

- Temos de ser muito realistas com a situação do clube de não buscar estrelas, grandes jogadores, mas sim jogadores com perfil de Corinthians. Ramiro é um deles, faz várias funções, tem transição defensiva e ofensiva muito boa, 250 jogos com a camisa do Grêmio. Esse perfil estamos buscando para fazer um Corinthians bem forte - afirmou Fábio Carille.

Carille repete a postura que havia adotado na virada de 2017 para 2018. Na época, logo após ser campeão brasileiro, o treinador disse que não queria grandes contratações, mas jogadores com perfil para se encaixar em seu esquema. Ou seja, que se doem em campo e exerçam mais de uma função, como Ramiro, que atua de volante, meia e até lateral-direito. 

Até o momento, o Corinthians anunciou a contratação de cinco jogadores. O lateral-direito Michel Macedo, volante Richard, o meio-campista Ramiro, o meia-atacante Gustavo Mosquito e o atacante André Luis. Carille não quis comentar sobre os outros reforços em pauta, mas o Timão também tem negociações avançadas com o meia Sornoza, do Fluminense, e o atacante Luan, do Atlético-MG.,

Dos que estão na mira, o único com perfil de estrela é o atacante Diego Tardelli, atualmente sem clube após se desligar do Shandong Luneng (CHI). No entanto, o Corinthians admite que é muito difícil contar com o jogador e conta apenas com o trunfo de ele ser agenciado por Giuliano Betolucci, empresário que tem ótima relação com a diretoria. Foi ele, inclusive, que determinou a transferência de Ramiro.