Gil - Corinthians (Treino 10/07)

Gil vestirá a camisa 26 do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Yago Rudá
12/07/2019
13:32
São Paulo (SP)

Por livre e espontânea vontade, Gil está de volta ao Corinthians. Apresentado como mais novo reforço do Timão para a temporada, o zagueiro recebeu a camisa 26 das mãos de Duílio Monteiro Alves - diretor de futebol - e explicou as razões que o motivaram a retornar ao Brasil após quase três temporadas no Shandong Luneng, da China.

- Construí uma história muito bonita na China, mas chegou a hora de voltar para casa. Mesmo longe mantinha contato com meus companheiros. Ralf, Urso, Fagner, Jadson e Cássio me mandaram mensagem. Meu filho vinha em todos os jogos do Corinthians e isso ajudou. Voltei para ser feliz novamente. É uma torcida que me trata super bem e um clube que me abriu as portas - argumentou o zagueiro tratando o Corinthians como seu lar.


Destaque do título brasileiro de 2015, Gil assinou contrato de seis meses com o Corinthians com a possibilidade de renovação por mais três temporadas. Apesar da estranheza do acordo, que gerou receio em parte da torcida, o zagueiro fez questão de tranquilizar a Fiel, explicar a peculiaridade de seu acordo com o Timão e garantir sua permanência pelos próximos anos.

- É o tempo restante que tinha na China (o contrato de Gil com o Shandong Luneng ia até janeiro de 2019). Mas a minha permanência aqui está garantida para o ano que vem. Dei minha palavra para o presidente e não há motivos para preocupações - cravou.

Integrado ao elenco na última quarta, Gil já ganhou a vaga de titular e vai fazer sua reestreia pelo Timão domingo, contra o CSA, em Itaquera.  A partida é válida pela 10ª rodada do Brasileirão. O jogador formará dupla de zaga com Manoel e deve ser o dono da posição até o fim da temporada.

Confira outros trechos da entrevista de Gil:

Sobre ter ganho a posição já na primeira semana com o elenco
O grupo do Corinthians é muito forte. Cheguei para ajudar. Vim para o Corinthians para crescer junto com meus companheiros. Tenho que estar preparado para tudo. A escolha é do professor. Vim para fazer o meu melhor para vencer novamente.

Expectativa gerada na torcida
É bom sentir esse carinho, esse apoio. A minha primeira passagem foi muito boa. Espero fazer o meu melhor trabalho. A responsabilidade de jogar no Corinthians é grande. Temos que vestir essa camisa com amor. Espero ajudar bastante os meus companheiros. A responsabilidade é grande, mas estou preparado. Vou trabalhar para fazer o meu melhor no dia a dia e evoluir.

Por que voltou ao Brasil?
O mais importante é voltar a ser feliz. Tinha a proposta de renovação de mais um ano, mas decidi rescindir e eles aceitaram. Nesses três anos e meio tivemos uma relação aberta e eles aceitaram numa boa. A decisão estava tomada e nada me faria voltar atrás. Agora, é trabalhar aqui no Corinthians.

Experiência na China e ritmo de jogo
Muito se fala sobre o futebol alternativo, que é o mercado asiático. Desde que cheguei na China me preparei e sempre treinei bastante. Isso me ajudou muito. Esse ano joguei todos os jogos e estou me sentindo bem. A maioria dos jogadores que estão no Corinthians eu já conheço. Se bate nessa tecla de que os jogadores que estavam no mercado asiático não têm ritmo de jogo, mas não vou pensar nisso.

Qualidade do elenco do Corinthians 
O grupo é bom. Acho que temos que continuar trabalhando. Mesmo com três dias de trabalho vi que os jogadores são muito trabalhadores. Tenho o exemplo do Cássio, Fagner e Ralf. Vou tentar me entrosar o mais rápido possível para ganhar ritmo de jogo e buscar as vitórias.

Por que a camisa 26?
A camisa 26 eu não sei, não (risos). Cheguei no meio da temporada e não tenho vaidade quanto a isso.

Sobre retorno para a Seleção Brasileira
Meu pensamento é no clube. Vou trabalhar forte e não sei o dia de amanhã. Espero um dia voltar a vestir a camisa da Seleção, mas é o trabalho no clube que abre as portas na Seleção. O mais importante é o Corinthians.

Relação com a torcida
É gostoso ter o carinho do torcedor. Não me vejo como ídolo do Corinthians. Foi muito importante pela trajetória. Voltei para continuar escrevendo um pouco dessa história. Não só eu e o Manoel, mas todos os defensores do clube. Vou continuar trabalhando.

Foi procurado por outros clubes brasileiros?
Fui procurado, mas voltei porque já tinha dado minha palavra ao presidente. Então, deu tudo certo para voltar ao Corinthians. Vou me dedicar ao máximo aqui no clube.

Você escolheu voltar para o Brasil ou voltar para o Corinthians?
Escolhi voltar para o Corinthians. Depois que consegui minha liberação, conversei com o presidente. Queria voltar para o Corinthians. Tinha o desejo de voltar para o Corinthians.

Sequência
Temos uma sequência de três jogos em casa. Temos que trabalhar forte para conseguir vencer os jogos. Temos essa sequência boa para crescermos, tanto no Brasileiro, como na Sul-Americana. Todo mundo concentrado e focado vamos buscar coisas boas pela frente.

Conversou com o Henrique?
Chego para ajudar. Claro que fico um pouco surpreso, mas somos um grupo. Quem entrar aqui vai dar conta do recado. O Manoel e o Henrique têm sua história no futebol. Também temos o João, da base, que está nos ajudando. Já conversei com o Henrique e converso com todos. Quem o professor escolher dará conta do recado.