Alexander Lecaros - Botafogo

(Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Sergio Santana
18/10/2020
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Uma dívida com o ex-clube de Alexander Lecaros fez com que o Botafogo escapasse de uma dor de cabeça ainda maior. Nas últimas semanas, o Alvinegro depositou 250 mil dólares (R$ 1,4 milhão, na cotação atual) ao Cusco FC - ex-Real Garcilaso - pela transferência do atacante peruano no início do ano de acordo com o mecanismo de solidariedade da Fifa.

O jogador de 20 anos fez toda a base no clube peruano e, mesmo se tratando de uma transferência sem custos, o anexo 5 do regulamento da Fifa prevê que o time formador de um atleta precisa de uma indenização nestes casos.

O Botafogo, contudo, poderia ter sido punido caso não entrasse em dia com a equipe peruana pela transferência da Fifa. A parte de medidas no Código Disciplinar da Fifa afirma que o Botafogo poderia ter sido enquadrado e sofrido com algumas consequências, tais como:

a) Ficar impedido de contratar
b) Jogar sem público
c) Jogar uma partida com um número limitado de espectadores
d) Jogar uma partida como mandante em campo neutro
e) Ficar banido de jogar em um determinado estádio
f) Anulação do resultado de uma partida
g) Perda de pontos
h) Rebaixamento
i) Exclusão de uma competição
j) Desistência
​k) Repetir uma partida
l) Implementação de um plano de prevenção

Pelo contexto do Botafogo e do mundo - com a pandemia do novo coronavírus -, alguns itens poderiam ser riscados da lista. Como esta seria uma punição envolvendo uma outra equipe e um mecanismo de negociações, a principal chance seria o Alvinegro tomar uma punição de ficar impedido de contratar. Como a dívida foi quitada e o Cusco FC não entrou a Fifa, o risco é inexistente.

Um exemplo é a situação do Cruzeiro. De acordo com o "Jornal O Globo", a equipe mineira recebeu um ofício da Fifa na última quarta-feira dizendo que a instituição pode ficar impedida de registrar novos jogadores por três janelas consecutivas se não quitar uma dívida com o Union Flórida-ARG pela contratação de Ramón Ábila.

Em 2016, a Raposa contratou o atacante junto ao Huracán-ARG, mas não repassou o dinheiro correspondente à transferência ao Union Flórida, clube ao qual o atacante atuou até a categoria sub-17.

Assim, o Botafogo "limpou" o nome com a Fifa e está à salvo de qualquer tipo de punição envolvendo o registro de futuros jogadores. Vale ressaltar que esta dívida foi quitada com parte do dinheiro ganho com a transferência de Luís Henrique ao Olympique de Marselha, como informou o "GE".

Alexander Lecaros ainda tenta se achar no Botafogo. O peruano tem apenas três jogos no Alvinegro desde que assinou pelo clube, no começo do ano.