Lazlo Dalfovo
08/04/2019
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

Há exatamente um mês, Diego Souza era anunciado como o principal reforço do Botafogo para a temporada, na qual ficará por empréstimo junto ao São Paulo até dezembro. Desde então, são quatro jogos com a mística camisa 7, um gol marcado e uma assistência. 

Com Diego Souza em campo, o Botafogo ainda não perdeu (três empates e uma vitória), porém, como o time de Zé Ricardo atravessa uma má fase técnica, está longe de um esquema para canalizar todo o talento da estrela de 33 anos. 

Diego Souza chegou com o status de ídolo ao Glorioso: foi apresentado no Salão Nobre de General Severiano e foi recebido pela torcida com muita festa, com direito até a presença da bateria da escola de samba vinculada ao clube.

Boa parte da expectativa tem a ver pela responsabilidade de Diego ter chegado para ser o homem-gol, a referência que todos esperavam - sobretudo por Kieza ser muito contestado pela torcida. No entanto, é possível que o camisa 7 atue em posições mais recuadas em breve, já que tem treinado em outras funções. 

- Diego Souza tem a possibilidade de jogar em mais de uma posição. Estamos explorando isso, jogador inteligente que impõe respeito. Queremos potencializá-lo. Colocar ele no menor tempo possível em forma. Sequência de jogos no Carioca e os treinos acreditamos que demos um passo. Posicionamento é o dos últimos jogos, mas temos estimulado variações com ele e com os outros jogadores - disse Zé, em entrevista coletiva recente. 

Nos dois últimos jogos, contra Americano (2 a 2) e Juventude (1 a 1), pouco foi efetivo, embora tenha feito bem o papel de pivô em alguns lances. Já na estreia, contra o Fluminense (1 a 1), deu uma assistência e, diante da Portuguesa, foi à rede pela primeira vez e abriu o caminho para a virada (4 a 1) alvinegra. 

Para o jogo desta quinta, o da volta contra o Juventude, pela terceira fase da Copa do Brasil, em Caxias do Sul, é possível que Diego Souza siga atuando ao lado de Rodrigo Pimpão e Erik no ataque - a formação dos três últimos jogos.

Ou seja, pelo teor decisivo do confronto, é a hora da mística da camisa 7 fazer a diferença na melhor oportunidade que Diego terá para brilhar, até o momento.

Diego Souza - Botafogo
Mapa de calor e números de Diego Souza contra o Juventude: DS7 está longe de ser um centroavante fixo (Foto: Reprodução / Sofascore)