gols:
LANCE!
15/11/2021
19:44
Rio de Janeiro (RJ)

Na tarde desta segunda-feira, o Botafogo garantiu o acesso à primeira divisão do Campeonato Brasileiro ao bater o Operário por 2 a 1, no Nilton Santos. Após a partida, o vice-presidente geral do clube, Vinícius Assumpção, conversou com a reportagem do LANCE! e destacou que a sensação pela conquista do objetivo de retornar para a Série A era de alívio e felicidade. Entretanto, apesar da alegria, o dirigente botou os pés no chão e mostrou que já mira o ano de 2022.

> ATUAÇÕES: Pedro Castro e Rafael Navarro garantem o Botafogo na Série A 

Vinícius Assumpção, vice-presidente do Botafogo
Vinicius Assumpção é vice presidente geral do Botafogo (Vítor Silva / Botafogo)

- É uma mistura de sentimentos: de alívio, de felicidade extrema, principalmente de alívio e concretização de um trabalho que foi iniciado desde que nós tomamos posse, o presidente Durcesio e eu. Agora é começar a projetar o ano de 2022. Também será um ano muito difícil porque é um time que sai da Série B e retorna à Série A com o peso do Botafogo... não tem jeito, todo campeonato que o Botafogo for disputar, ele tem que estar almejando algo de melhor, tem que estar na ponta da tabela.

- Então, com toda dificuldade que o clube tem ainda, os desafios são enormes. Como já falei várias vezes: subimos, mas vamos ficar, pelo menos, até maio financeiramente ainda rebaixados porque tem uma coisa que é fundamental falar. As outras duas vezes que o Botafogo caiu, infelizmente, nós jogamos o campeonato com orçamento de Série A. Agora, nós jogamos o campeonato com uma série de dificuldades financeiras e com um orçamento de Série B, com menos de 10% da arrecadação que a gente tinha na Série A. Então, o desafio foi enorme, temos que continuar nesse caminho de reestruturação do clube para que a gente possa alcançar aí, em breve, voos maiores. 

> Veja e simule a tabela do Brasileirão

Assumpção também revelou qual é a primeira prioridade do Botafogo na próxima temporada. O VP reiterou que é preciso continuar com o caminho da reestruturação, manter os pés no chão e não comprometer o futuro do clube. 

Continuar o caminho da reestruturação, reestruturação, não gastar mais do que arrecada. Tentar caminhar com os pés no chão, ousadia, mas com os pés no chão, sem loucura, sem comprometer o futuro do Botafogo. Isso nós não vamos abrir mão. Então, esse é o principal desafio. A pressão da torcida é grande, manter os pés no chão e dizer à torcida que, com esse caminho, nós teremos, em breve, grandes conquistas.