Botafogo x Flamengo (2021)

José Welison em Botafogo x Flamengo de 2021 (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Sergio Santana
23/02/2022
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O que pode mudar em onze meses? O caso do Botafogo é emblemático: o Alvinegro estava na Série B e com poucas perspectivas sobre o futuro na última vez que enfrentou o Flamengo, em março do ano passado. Nesta quarta-feira, o Glorioso reencontra o Rubro-Negro com a moral renovada: com a chegada de John Textor, a "coisa virou" e há esperança por dias melhores.

+ Busca por Cavani: John Textor quer trazer um 'nome de impacto' para o Botafogo ainda em 2022

Vale ressaltar, claro, que ainda não chegaram reforços - apesar de mudanças significativas nas questões fora de campo. O empresário está no Rio de Janeiro para assinar o contrato definitivo da compra da SAF e, após isso, a tendência é que o Botafogo comece a oficializar os movimentos no mercado.

Ainda não é assinante do Cariocão-2022? Acesse www.cariocaoplay.com.br, preencha o cadastro e ganhe 5% de desconto com o cupom especial do LANCE!: GE-JK-FF-ZSW

O jogo do dia 24 de março de 2021 terminou com a vitória por 2 a 0 para o Flamengo - gols marcados por Rodrigo Muniz e Hugo Moura. O Botafogo, à época comandado por Marcelo Chamusca, praticamente não ameaçou o rival.

Douglas Borges; Jonathan Lemos, Marcelo Benevenuto, Kanu, Paulo Victor; José Welison, Rickson (Ronald), Matheus Frizzo (Kayque); Warley (Gilvan), Matheus Babi (Rafael Navarro), Marcinho (Felipe Ferreira). Esse foi o time do Botafogo naquela noite. Diego Loureiro, Andrew, Ewerton, Cesinha, Ênio, Davi Araújo e Matheus Nascimento não saíram do banco.

Desses, Benevenuto, Matheus Babi e José Welison deixaram o Alvinegro ainda durante o Estadual. Paulo Victor, Rickson e Marcinho seguiram o mesmo caminho durante a disputa da Série B do Brasileirão. Jonathan, Gilvan, Matheus Frizzo, Rafael Navarro e Warley deixaram o clube no fim de 2021.

Da desconfiança à esperança, o Botafogo reencontra como um "marco" que explica como o clima mudou nos corredores do Estádio Nilton Santos. Em campo, claro, apenas os jogadores poderão dizer como a história vai terminar.