Menin ao lado de Emmanuel Carneiro, concretizando a venda da Rádio Itatiaia

Menin ao lado de Emmanuel Carneiro, concretizando a venda da Rádio Itatiaia-(Divulgação/Atlético-MG)

Anderson Gonçalves Valinor Conteúdo
13/05/2021
16:38
BH

O mundo dos negócios e do futebol teve uma grande surpresa na noite de quarta-feira, com o anúncio da compra da Rádio Itatiaia, a de maior audiência em Minas Gerais, pelo empresário Rubens Menin, que é o maior parceiro comercial do Atlético-MG e dono de um império composto pelo grupo MRV&CO, com as seguintes empresas: MRV Engenharia, Urba, Luggo, AHS e Sensia – Banco Inter e a emissora de televisão CNN Brasil.

Menin adquiriu 100 % da Itatiaia, que era controlada por Emmanuel Carneiro desde 1994 e foi fundada em 1952, se tornando líder de audiência no estado, principalmente com as transmissões esportivas de Galo, Raposa e Coelho.

Com a compra da Itatiaia, o grupo liderado por Rubens Menin possui agora duas marcas de renome no mercado de mídia. Além da rádio, a CNN, nome mais conhecido do jornalismo mundial aportou no Brasil sob o guarda-chuva das suas empresas


-Temos uma grande mídia nacional, mas Minas precisa ter seu foco, seu espaço e seu debate interno. A Itatiaia produz isso super bem e nosso propósito é fortalecer esse papel-disse Menin no comunicado que oficializou o negócio, ao lado de Emmanuel Carneiro.


O valor do negócio ou detalhes da negociação não foram revelados. Rubens Menin faz parte do grupo de empresários, os 4 R’s (Rubens Menin, Rafael Menin, Renato Salvador e Ricardo Guimarães), que estão auxiliando o Galo no reerguimento financeiro do clube e ainda em um projeto esportivo de longo prazo, visando tornar o time mineiro em uma das potências no futebol sul-americano.

Força dentro do Galo e projeto de longo prazo

Se hoje o torcedor conhece Rubens Menin como parceiro comercial e mecenas do Galo, sua presença no clube mineiro vem de longa data, seja como patrocinador, seja como apoiador do esporte e do clube em diversas fases nas últimas duas décadas.

A primeira participação de Menin no esporte não foi no futebol e sim no vôlei, com um patrocínio ao time do Minas Tênis Clube, o MRV Minas, que foi campeão da Superliga feminina na temporada 2001/2002.

Com o sucesso obtido pela exposição, a MRV, que foi fundada em 1979 e se tornou a maior construtora do país, principalmente após a criação do Programa Minha Casa, Minha Vida, dos governos Lula e Dilma, com empreendimentos populares, a empresa de Menin entrou ainda mais forte no esporte, iniciando uma parceria com o clube de coração da família, o Atlético-MG.

A primeira parceria comercial com o grupo da família Menin se iniciou em 2005, quando o Galo foi rebaixado à Série B. Desde então, a marca da MRV esteve em diversos momentos da história recente do clube, ora como patrocinador máster, ora em outros espaços do uniforme atleticano. Mas, sempre envolvido na vida atleticana.

Da parceria comercial, Rubens e Rafael Menin foram estreitando a relação com o clube, com ambos se tornando conselheiros do Galo e tendo força política interna, mesmo sem terem cargos de comando, como a presidência do Atlético.

Ampliando os negócios, mas nunca esquecendo do time do coração

Com um grupo empresarial sólido, Rubens Menin diversificou os negócios, tendo presença nos ramos de logística, com a Luggo, até financeiro, com o Banco Inter, que teve sua marca na camisa do São Paulo por muito tempo, o que ajudou o banco a se tornar a maior instituição digital do Brasil, com mais de 11 milhões de clientes.

Outras ações no esporte, como patrocínio a outros clubes (Flamengo, Vasco, Fortaleza, Bahia) nunca distanciaram a MRV e os Menins do Galo. Tanto que em 2017 houve a doação de um terreno no bairro Califórnia, em Belo Horizonte para que o alvinegro pudesse erguer o seu sonhado estádio próprio.

A cessão do espaço não foi a única benesse feita para o clube. A MRV Engenharia está ajudando o clube mineiro a construir o estádio, que se chamará Arena MRV, com previsão de entrega para 2022.

Desde o anúncio da obra da arena, a presença de Rubens Menin e de Rafael, seu filho, no Galo se tornou ainda mais forte, com a dupla, aliada ao ex-presidente Ricardo Guimarães, dono do Grupo BMG, e de Renato Salvador, dono da Rede de Hospitais Mater Dei, tendo influência direta no dia a dia do clube.

As eleições no Atlético, no fim de 2020, teve um candidato de consenso , Sérgio Coelho, apoiado pelos “4 R´s”. Coelho oficializou a presença dos empresários no organograma do clube, como apoiadores, um colegiado que ajuda na gestão do Atlético.

Essa influência se tornou evidente no início de 2020, criando um personagem querido pelo atleticano: o “Vovô Menin”. Rubens Menin começou a ajudar o Galo financeiramente com quitação de dívidas do clube, aportes para contratações e o início de um projeto de longo prazo para tornar o Atlético em um dos maiores clubes da América do Sul.

Com a ajuda dos negócios de Menin, o Galo abriu os cofres de fez contratações caras, como do técnico Jorge Sampaoli e jogadores do naipe de Keno, Hulk e Nacho Fernández, que somados aos outros nomes de valor do elenco, geraram um gasto acima dos 300 milhões e um holofote enorme em cima do time mineiro, que busca ser protagonista nas competições nacionais e internacionais.