La

Atualmente, o La Equidad está mal no campeonato colombiano e foi eliminado da Copa da Colômbia-(Reprodução)

Valinor Conteúdo
19/08/2019
19:11
Belo Horizonte

Há algumas semanas o torcedor do Atlético-MG vem lendo, ouvindo ou vendo conteúdo sobre o La Equidad-COL, adversário desta terça-feira, 20 de agosto, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana, às 21h30, no Independência.

O Galo trata com muito carinho a Sula em 2019, comportamento bem diferente da temporada 2018, quando desprezou o torneio continental. A equipe mineira vê na competição uma boa chance de título e ainda uma vaga direta para a Libertadores de 2020.

Por isso, o Galo acompanhar bem de perto o La Equidad, que é um time jovem, fundado em 1982 e ainda é desconhecido do público brasileiro. Veja abaixo um pequeno grupo de informações sobre o rival do Galo desta terça-feira, no Horto.

Momento instável dentro de campo

O La Equidad não começou bem a temporada colombiana. No Torneio Clausura do campeonato nacional, a equipe ocupa a 19ª colocação, com apenas quatro pontos somados em seis partidas disputadas. Até agora,foram quatro derrotas, um empate e apenas uma vitória.

Os colombianos vem a Belo Horizonte com um revés na bagagem. Foram derrotados pelo Millonarios, no sábado 17, por 3 a 2, fora de casa. Nos torneios de mata-mata, o La Equidad também não vai bem. Na Copa da Colômbia, o time foi eliminado pelo Deportivo Pasto, nos pênaltis, pelas oitavas de final do torneio.

Quem é o La Equidad?

Originado de uma empresa de seguros, a Equidad Seguros, o La Equidad foi fundado em 1982, o La Equidad tem sede em Bogotá, capital da Colômbia, e é conhecido como "Los Aseguradores"(os seguradores).

O time dos seguradores conseguiu acesso à primeira divisão colombiana em 2007 e desde então, nunca mais foram rebaixados. A maior conquista do La Equidad como equipe profissional foi em 2008, quando venceram a Copa da Colômbia, derrotando o Once Caldas na decisão.

O La Equidad é dono do Estádio Metropolitano de Techo, que tem capacidade para 8 mil torcedores. Mas, não será lá o jogo de volta contra o Galo, pois o local não possui a capacidade mínima exigida pela Conmebol para jogos da Copa Sul-Americana. O duelo será no Estádio El Campín, que tem capacidade para mais de 35 mil lugares, que não devem ser totalmente preenchidos, pois é um time de pouca torcida.

Segundo time do coração

Por ser mais jovem, o La Equidad não criou raízes na torcida de Bogotá para ter uma rivalidade como dos tradicionais Independiente Santa Fé e Millonarios, e é tratado como o "segundo time" para os torcedores das duas maiores forças da capital colombiana. Trazendo para um exemplo local, é como o América-MG, que possui simpatia de atleticanos e cruzeirenses em Minas Gerais.

La Equidad na Copa Sul-Americana

O time da seguradora está na quinta participação na Copa Sul-Americana desde que esta na elite . A primeira foi em 2009, após o título da Copa da Colômbia, mas sem ir muito longe, pois o time foi eliminado logo na primeira fase do torneio.

As outras participações do La Equidad na Sula foram em 2011, 2012 e 2013, chegando às oitavas de final em 2013. Este duelo com o Galo, pelas quartas, já é o melhor resultado do clube em sua história nos torneios continentais. Se chegar às semifinais,o feito histórico será ainda maior.

Campanha em 2019 na Sula

Para chegar ao duelo com o alvinegro de Minas Gerais, os colombianos passaram por Independiente Campo Grande-PAR, Deportivo Santaní-PAR e Royal Pari-BOL. Foram quatro vitórias e dois empates, diante do Independiente Campo Grande, na primeira fase, conseguindo a vaga na disputa por pênaltis.

Modelo de jogo

O Galo vai ter de ter paciência para entrar na defesa do La Equidad, pois é uma equipe que prima por esperar o adversário em seu campo, buscando o contra-ataque.

O técnico Humberto Sierra comanda a equipe que tem no meia Stalin Motta, capitão da equipe,um dos destaques ao lado do goleiro Diego Novoa. Motta é dos tempos áureos de conquistas do La Equidad.