O time argentino não aceitou bem a desclassificação para o time mineiro e partiu para a briga

Os incidentes após o jogo que eliminou o time argentino da Libertadores foram relatados pelo clube mineiro junto à Conmebol-(Reprodução/FOX Sports)

Valinor Conteúdo
24/07/2021
17:59
Belo Horizonte

O Atlético-MG ainda não desistiu de ter alguma punição contra o Boca Juniors após os incidentes depois do jogo entre as duas equipes, pelas oitavas de final da Libertadores, na última terça-feira, 20 de julho.


A equipe mineira fez um relatório que foi enviado à Conmebol para que não haja nenhum tipo de retaliação quando o Galo for novamente à Buenos Aires para encarar o River Plate, pelas quartas de final da competição continental ,no mês de agosto. No texto, também há um pedido de punição pela confusão armada pelo Boca em BH.

O Galo está se precavendo após o técnico do Boca Juniors, Miguel Ángel Russo, disse que a delegação argentina foi agredida e se defendeu das agressões sofridas, o que foi contestado pelo Galo, se embasando nos vários vídeos que circularam a briga generalizada.

O relatório foi encaminhado à Conmebol contendo imagens, documentos e o Boletim de Ocorrência feito em uma delegacia da capital mineira. Nele, o argentino confirma ao dirigente alvinegro que a delegação do Boca foi atrás do árbitro nos vestiários após o jogo, ao contrário do que diz o treinador Miguel Ángel Russo na entrevista dessa sexta.

Bate e volta para pegar o River Plate

O retorno do Galo à Argentina será no dia 11 de agosto, para encarar o River Plate e o clube está preparando uma logística para permanecer o menor tempo possível em Buenos Aires. A ideia inicial é ficar em Porto Alegre, treinar e viajar na véspera do jogo, dia 10 e voltar logo após a partida. O duelo de volta será no dia 18 de agosto.