Valinor Conteúdo
11/01/2021
21:08
Belo Horizonte

O Atlético-MG até começou bem a partida, mas não conseguiu superar o Red Bull Bragantino, O duelo ficou empatado por 2 a 2 , gols de Ricardo Ryller e Edimar, para o Massa Bruta, com Savarino e Hyoran, de pênalti, marcando para o alvinegro. Veja os gols no vídeo acima. 

O sonho atleticano de se aproximar do líder São Paulo ficou mais distante com a igualdade, já que chegou aos 50 pontos, permanecendo em terceiro na tabela, a seis do Tricolor e três pontos do vice-líder Internacional. Já o Massa Bruta conseguiu segurar o segundo gigante nacional de forma seguida.

Goleou o São Paulo e agora, ao empatar o Atlético, consolida uma reação no segundo turno, chegando na 13ª posição, com 35 pontos, a seis da zona do rebaixamento e com possibilidade de sonhar com uma vaga na Sul-Americana de 2021.

A noite alvinegra foi instável, com alguns momentos bons, mas sem brilho das principais peças, além de vacilos defensivos que foram fatais para as pretensões da equipe na partida.

Galo começa forte

Vargas mandou uma bola na trave logo de cara, mostrando para o Red Bull Bragantino que o time estava ligado. A equipe mineira seguiu em ritmo acelerado até os 12 minutos do primeiro tempo, quando o Massa Bruta equilibrou as ações. O Galo criou algumas chances, mas não conseguiu concluir bem as jogadas. E o castigo veio.

Mas quem saiu vencedor do 1º tempo foi o Bragantino

Em uma boa jogada de Helinho, ele cruzou para a área, Réver não alcançou e Ricardo Ryller deu uma “casquinha” para o gol, abrindo o placar. O time paulista não fez um volume de jogo para sair vencedor da etapa inicial, mas foi mais eficiente e ter mais a bola no pé não altera o placar.


VEJA COMO FICOU A PONTUAÇÃO DE GALO E MASSA BRUTA NA SÉRIE A

Bragantino x Atlético-MG
O Massa Bruta esteve à frente no placar duas vezes, mas não consguiu segurar o resultado ao fim da partida-(Ari Ferreira)

Retorno intenso e empate atleticano

O Atlético-MG voltou mais atento no segundo tempo, “subiu” a marcação e conseguiu empatar o jogo antes dos 10 minutos, com Savarino. Com a igualdade, agrediu mais a equipe de Bragança e ameaçou fazer o segundo gol mais vezes que os paulistas.

Massa Bruta na frente. Galo não para a bola aérea do rival

Quando parecia tomar conta do jogo, o Atlético falhou outra vez na defesa e com uma jogada de bola alçada na área. Em um escanteio, Edimar subiu entre os zagueiros alvinegros, bem altos por sinal, e mandou para as redes atleticanas.

Peças importantes em noite ruim

Keno, Arana, Vargas não estavam em uma boa jornada. Pouco produziram, assim como o meio de campo, com Alan Franco e Hyoran, apesar da luta e do time ter ficado mais tempo com a bola na partida.

Mudanças de Barbieri deram certo

O treinador do Bragantino reequilibrou o duelo com o Galo, ao fazer mudanças no seu sistema de jogo, principalmente com a entrada de Morato na ponta-esquerda, tendo um zagueiro, Ligger, garantindo a cobertura na sobra de bola. Com mais presença no campo de ataque, Barbieri segurou o ímpeto atleticano pelos lados do campo.

“Morreu” com duas trocas

Sampaoli optou por fazer as substituições a “conta-gotas”, parando o jogo nas três vezes que a regra permite. Só colocou em campo Nathan, Sasha e Jair. Perdeu a chance de mudar o time mais cedo e ainda ter pelo menos outras duas modificações para melhorar o desempenho da equipe.

Salvo pelo VAR

Com um lance ajustado pelo VAR, a arbitragem marcou um pênalti sobre Guilherme Arana aos 54 minutos do segundo tempo. Hyoran bateu e deixou tudo igual, garantindo um ponto para o Galo em Bragança.

Só depende do Galo, eis o problema

O Atlético-MG teve um jogo a menos contra o Athletico-PR, que poderia lhe dar uma folga na então liderança que detinha. Perdeu o duelo e viu a chegada de São Paulo e Flamengo. O Tricolor aproveitou bem as partidas que lhe faltava e virou dono da liderança.

Diante do Red Bull Bragantino, outra chance de aproximação da liderança. Só dependia do Galo, pois se vencesse o time paulista, poderia ficar a um ponto apenas do time de Fernando Diniz. E, outra vez, o time, que  tem um jogo a menos na tabela, se mostrou imaturo na hora de decidir a seu favor, mesmo conseguindo um ponto fora de casa. 


Próximos jogos

O Galo encara o xará Atlético-GO, domingo, 17 de janeiro, às 18h15, no Mineirão. Já o Red Bull Bragantino, vai Fortaleza encarar o Ceará, também no domingo, só que às 20h30.

FICHA TÉCNICA DA PARTIDA

RB BRAGANTINO 2 X 2 ATLÉTICO-MG
Data e horário: 11/01/2021, às 20h
​Local: Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira-RN (RN)
Cartões amarelos: Cuello(BRA), Sampaoli(ATL), Fabrício Bruno(BRA), Ligger(BRA)
Cartões vermelhos:-
Gols: Ricardo Ryller, aos 45’-1ºT(1-0), Savarino, aos 9’-2ºT(1-1), Edimar, aos 21’-2ºT(2-1), Hyoran, aos 54’-2ºT(2-2)

RB BRAGANTINO (Técnico: Maurício Barbieri)

Cleiton; Weverton(Ligger, aos 32’-2ºt), Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Raul, Ricardo Ryller(Ramires, aos 17’-2ºT) e Claudinho; Helinho(Bruno Tubarão, aos 13’-2ºT), Ytalo(Chrigor, aos 17’-2ºT) e Cuello(Morato, aos 32’-2ºT).

ATLÉTICO-MG (Técnico: Jorge Sampaoli)

Everson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan(Nathan, aos 39’-2ºT), Alan Franco(Jair, aos 11’-2ºT) e Hyoran; Savarino, Keno e Vargas(Sasha, aos 31’-2ºT).