Ruy - América-MG

Ruy estava fora da equipe desde o duelo contra o Sport- Foto: Mourão Panda / Divulgação / América-MG

Valinor Conteúdo
14/09/2018
17:37
Belo Horizonte

O América-MG subiu bastante na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro após a chegada do técnico Adilson Batista. O novo treinador fez algumas mudanças na equipe. Uma delas foi a entrada de Ruy como camisa 10 do Coelho.

Ruy foi fundamental para vitórias diante de Internacional e Santos (em pleno estádio da Vila Belmiro) e também para empates contra Palmeiras e Fluminense. No entanto, na 20ª rodada, no sucesso, fora de casa, diante do Sport sofreu uma lesão muscular na coxa que o tirou dos últimos quatro compromissos do América Mineiro.

Após tratamento intensivo, com direto a três períodos em alguns dias, Ruy está recuperado e treinou com bola nesta semana.

-Logicamente fiquei chateado pela lesão, pois vinha numa sequência de boas atuações e resultados positivos. Mas, sei que as contusões são coisas que fazem parte da carreira do jogador. Levantei a cabeça e tratei de maneira intensiva para acelerar meu processo de recuperação. Agradeço aos profissionais de fisioterapia e da parte física do clube que deram o suporte nesse período, declarou.

Nos quatro jogos em que Ruy ficou ausente, o Coelho venceu apenas um jogo. Isso ajudou a comprovar a importância dele para equipe. Recuperado, o meia espera corresponder novamente as expectativas.

-Estava conseguindo ajudar a equipe. Todos os atletas quando ficam ausentes por lesão fazem falta ao time, não apenas eu. Temos um elenco de qualidade. Ganhei a confiança do professor Adilson. Consegui desempenhar bem o que ele me pediu, que é fazer essa transição meio-ataque. De quebra, nos jogos que atuei pude criar chances e até marcar gol. Gosto de assumir responsabilidades e volto preparado para mais uma vez ajudar o América-MG, disse.

Diante do Botafogo, no próximo domingo, às 11h, o América-MG volta a campo pelo Brasileirão no estádio Engenhão. Ruy defenderá uma invencibilidade contra os cariocas. Isso porque, nas duas vezes que enfrentou o Fogão, conquistou uma vitória, um empate e não sofreu gol.

- Tenho um bom retrospecto contra eles e espero manter isso. Mas, sabemos que será um jogo diferente, começando pelo horário. Será uma partida difícil, eles possuem muitos jogadores de qualidade, mas também estão vivendo um momento de pressão. Trabalhamos forte nesta semana para chegarmos no Engenhão e conquistarmos um ótimo resultado, concluiu.