Rexona-AdeS comemora o título da Supercopa (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

Rexona-AdeS comemora o título da Supercopa (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

RADAR/LANCEPRESS!
07/11/2015
00:19
Itapetininga (SP)

O Rexona-AdeS (RJ) começou com resultado positivo a temporada nacional de clubes. No duelo que reuniu os dois grandes campeões, melhor para o atual vencedor da Superliga. Nesta sexta-feira (06.11), a equipe carioca superou o Pinheiros (SP) por 3 sets a 0 (25/16, 25/16 e 25/22), diante de 3.023 pessoas que lotaram o ginásio Ayrton Senna, em Itapetininga (SP).

A equipe carioca, que nesta temporada já venceu o Carioca, mostrou porque é uma das favoritas da temporada com uma grande virada no terceiro set quando chegou a estar perdendo a parcial por 22/18.

A ponteira Natália comentou sobre a reação do Rexona-AdeS no terceiro set e elogiou a dedicação da equipe.

- Sempre buscamos títulos e nos preparamos bastante essa semana para jogar contra o Pinheiros. Sabíamos que elas estavam com bom ritmo de jogo e que seria uma partida difícil. Fiquei feliz com a nossa recuperação no terceiro set e agora temos que continuar trabalhando forte para o restante da temporada - afirmou Natália

A líbero Fabi destacou a vitória do Rexona-AdeS e parabenizou as companheiras pela conquista inédita para o grupo carioca.

- Temos que valorizar a Supercopa que é uma competição nova e que faz parte do calendário nacional. É mais um título que vai para a história do Rexona-AdeS. Estávamos precisando jogar para entrosarmos a equipe com a Thompson e a Monique que chegaram para essa temporada. O Pinheiros foi um bom teste para o nosso grupo - disse Fabi.

Pelo lado do Pinheiros, o treinador Wagão lamentou a derrota, mas falou sobre a importância da Supercopa no calendário brasileiro.

- A Supercopa é uma competição muito legal, pois premia duas equipes que conquistaram títulos na temporada passada. Foi importante para o nosso grupo participar, pois ainda estamos no processo de construção da equipe procurando uma melhor formação para a Superliga - comentou Wagão.

O JOGO

O Rexona-Ades começou melhor a partida e com um ace da central Carol fez 4/2. A levantadora Thompson jogava com velocidade e as cariocas foram para o primeiro tempo técnico com três de vantagem (8/5). Quando placar estava 10/6 para o time do Rio de Janeiro, o treinador do Pinheiros, Wagão, pediu tempo. Quando o placar estava 13/6 para o time carioca, Wagão inverteu o cinco e um. Entraram Angélica e Juma e saíram Ananda e Ana Paula. Mesmo com a paralisação, o Rexona-Ades seguiu melhor e fez 16/8. Bem no saque e no bloqueio, o time carioca seguiu melhor até o final do set e venceu a primeira parcial por 25/16.

O Pinheiros voltou melhor para o segundo set e fez 4/2. Numa boa sequência de saques da ponteira Gabi, a equipe carioca virou o marcador (6/5). Bem no bloqueio e com Juciely se destacando nas bolas de velocidade, o Rexona-Ades abriu dois pontos (8/6). E foram com dois bons saques da central Juciely que a diferença no marcador subiu para cinco (11/6). A equipe carioca seguiu ditando o ritmo da partida e foi para o segundo tempo técnico vencendo por 16/9. Sem dar chances para as paulistas, as cariocas levaram a melhor no segundo set por 25/16.

A terceira parcial começou equilibrada. Depois de um longo rally, a oposto Monique conseguiu um ponto de ataque e as cariocas fizeram 7/6. O set ficou disputado ponto a ponto. Com um ace da ponteira Natália, o Rexona-AdeS fez 12/11. Com dois pontos seguidos de bloqueio, o Pinheiros virou o marcador (12/11). A equipe paulista foi para o segundo tempo técnico com um de vantagem (16/15). Quando o placar estava 18/15 para o Pinheiros, o treinador Bernardinho pediu tempo. O Rexona-AdeS conseguiu uma grande virada depois de estar perdendo a parcial por 22/18 e fechou o set por 25/22 e o jogo por 3 sets a 0.