Nenê - Vasco x Goiás

Nenê quer voltar a sorrir como no primeiro semestre desta temporada (Foto: Celso Pupo / Agência Lancepress)

David Nascimento
20/10/2016
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Os encantos do Vasco no primeiro turno aconteceram muito por conta de Nenê. O camisa 10 da equipe comandada por Jorginho, apesar de ser meio de campo, fazia muitos gols e foi o artilheiro, aliado ao fato de fazer uma função que não é de sua posição – na teoria, de armar as jogadas e dar passes. O time no segundo semestre caiu de rendimento, e com Nenê não foi diferente. Sincero, ele admitiu acostumou mal, classificando os gols como lucro e fez justificativas.

– Em relação ao primeiro turno da B, quando fiz muitos gols, acostumei mal (risos). Os gols eram lucro. Minha função é dar assistência. Acaba que se não faço gol parece que não estou no mesmo nível, mas é coisa normal, faz parte. Não me sinto mais responsável, porque no grupo somos um só: todo mundo perde, todo mundo ganha. Não é só o Nenê que faz as coisas. Claro que a responsabilidade é grande, porque tenho uma coisa com a torcida muito forte – avaliou o camisa 10.

No primeiro turno da Série B do Campeonato Brasileiro foram dez gols, contra somente dois neste segundo turno faltando sete jogos para o fim. Nenê vê como normal esta cobrança do torcedor, que o vê como a maior estrela do Vasco na temporada, e apontou um ponto como motivo para a queda de rendimento: o fato de ter sofrido uma lesão no início do semestre, algo incomum de sofrer durante toda a sua carreira.

– Foi uma coisa muito chata ter me machucado. Nos últimos jogos não fiz assistências nem gols, mas creio que estou jogando bem. Fisicamente estou bem, em termos técnicos às vezes falha. Os jogadores estão mais acostumados com a minha presença e marcam mais. Não sei dizer. Tenho que tentar realmente fazer o time jogar mais. Tento ao máximo sair disso e fazer jogadas de gol e ataque, mas não está acontecendo como antes – finalizou o jogador.

NENÊ EM 2016

Carioca
Nenê foi o principal nome do Vasco na disputa do Campeonato Carioca deste ano. Após ter renovado o vínculo com o clube, o camisa 10 se destacou sendo o garçom e um dos goleadores da equipe ao longo da conquista invicta da competição. Ao todo no Estadual, após 17 jogos, Nenê fez sete gols e deu oito assistências.

Copa do Brasil
Na Copa do Brasil desta temporada, Nenê teve a sua importância, mas não conseguiu uma sequência na hora que o time do Vasco mais precisava para seguir vivo na luta pelo título. Em sete jogos, fez um gol e uma assistência.

Série B do Brasileiro
Já na Série B do Campeonato Brasileiro, Nenê viveu momentos distintos. Até o primeiro semestre, conseguia impor o ritmo praticado no Carioca, fazendo dez gols. Neste segundo turno, faltando sete jogos para o fim de 2016, balançou as redes somente duas vezes. Com isso, no total, em 24 partidas, o camisa 10 da equipe comandada por Jorginho já fez gols em 12 oportunidades e deu seis assistências. Até o fim do trabalho, Nenê quer recuperar o futebol mostrado, mesmo não sendo a sua função primordial.