icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira e Pedro Barboza
05/07/2014
18:54

Sidnei Loureiro não faz mais parte da diretoria do Botafogo. O dirigente pediu sua liberação ao presidente Mauricio Assumpção, que aceitou a renúncia ao cargo de gerente técnico. O vice-presidente de futebol Chico Fonseca também deve deixar o cargo. As mudanças foram acertadas em reunião entre membros da diretoria neste sábado. Na segunda-feira, por meio de nota oficial, as modificações na gestão deverão ser comunicadas oficialmente, que também pode conter outros nomes.

Sidnei iniciou sua trajetória no clube na primeira gestão de Assumpção, em 2009, coordenando as divisões de base. Lá, ao lado do técnico Eduardo Hungaro - hoje auxiliar-técnico de Vagner Mancini -, conquistou o título de juniores de 2011. Feito que o Glorioso não conseguia há 11 anos àquela altura. O agora ex-gerente técnico, foi um dos responsáveis por trazer alguns jogadores para as divisões de base que depois foram e são destaques na conquista do sub-20, e depois nos profissionais.

Dentre estes jogadores estão os zagueiros Dória e Matheus Menezes, o atacante Vitinho, o volante Gabriel, o lateral-direito Gilberto, hoje emprestado ao Internacional, Jadson, já vendido para a Udinense (ITA), além de Daniel, um dos destaques do time nos primeiros jogos do time no Brasileirão deste ano.

Em 2012, após a perda do título estadual, foi promovido aos profissionais, para auxiliar o então gerente de futebol Anderson Barros.

Já Chico Fonseca, ex-vice de patrimônio, iniciou sua gestão no futebol em dezembro de 2012, participando do planejamento do time profissional para o ano seguinte, quando o Botafogo conquistou o Campeonato Carioca.

As mudanças na diretoria acontecem em um momento em que a crise financeira afeta diretamente o futebol. Nesta semana, em protesto contra os atrasos nos salários, os jogadores se recusaram a viajar para João Pessoa, onde o time tinha amistoso marcado contra o Botafogo-PB. Na edição desde sábado do LANCE!, Chico Fonseca não escondeu sua insatisfação com a atitude dos atletas, afirmando que o clube não está pagando por falta de recursos.


Chico Fonseca está na vice presidência de futebol desde o fim de 2012  (Foto: Fernando Soutello/AGIF)

Desde a manifestação dos jogadores, na quarta-feira, nenhum diretor, nem mesmo o presidente Mauricio Assumpção compareceu aos treinos do time, no Cefan, na Penha, Zona Norte do Rio.