icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/07/2014
18:40

Sete meses após seu último combate, contra Mark Hunt, no UFC Fight Night 33, Antônio Pezão já sabe qual será seu próximo compromisso no UFC. Após agradar os organizadores com a grande batalha protagonizada na Austrália, em dezembro passado, o peso-pesado terá a incumbência de fazer a luta principal do UFC de Brasília, que acontece no dia 13 de setembro, em Brasília (DF), contra Andrei Arlovski, que voltou recentemente à maior organização de MMA do mundo. O duelo marcará o reencontro entre dois dos maiores nomes da categoria.

O confronto será uma revanche, já que, em maio de 2010, o brasileiro levou a melhor e venceu o bielorrusso por decisão unânime no Strikeforce, torneio extinto no começo de 2013. O Gigante da Paraíba, como ficou conhecido por sua forte ligação com o estado nordestino, mostrou-se entusiasmado com chance de fazer seu primeiro combate profissional em solo brasileiro, e logo em sua cidade natal.

- Fiquei muito feliz com essa notícia, há muito tempo tinha o sonho de lutar no Brasil junto com a minha torcida, agora vou treinar muito e dar o meu melhor. Para mim foi uma escolha perfeita, todos sabem do meu amor pela Paraíba, onde fui criado, mas tenho um grande carinho por Brasília (DF), pois foi a cidade onde eu nasci e, para mim, vai ser excelente ter o apoio da torcida. Eu já gosto de lutar naquela pressão quando estou lutando sem favoritismo e fora de casa, imagina lutando com a torcida ao meu favor (risos). É uma grande oportunidade, tenho certeza que vai ser uma grande luta - comentou o brasileiro.

Consciente de cada passo dado em sua carreira, o lutador, de 34 anos, segue buscando uma constante evolução em seu jogo. Apesar de ter vencido o primeiro embate contra Arlovski em 2010, Pezão afirma que muitas coisas mudaram e ele, hoje em dia, se sente um atleta ainda mais completo do que na ocasião.

- Muitas coisas mudaram de lá para cá. Posso dizer que hoje sou um outro lutador. Procurei melhorar em muita coisas, corrigir alguns erros e aumentar a cada dia mais a qualidade dos meus treinos. Sei que o Arlovski é um grande lutador e será oponente difícil. Ele voltou recentemente ao UFC e vai querer vir muito melhor para essa luta - avaliou.

Dono de uma cartel com 18 vitórias, cinco derrotas e um empate, Antônio Pezão faz questão de transparecer que o tempo fora de ação serviu para deixá-lo com muita vontade de voltar a fazer o que mais gosta e dar um grande espetáculo para os torcedores brasileiros.

- Estou com fome de luta, com muita vontade de entrar no octógono. Vocês podem esperar um Pezão com muita vontade e buscando o tempo todo a vitória. Vou procurar fazer uma luta dura e agradar os fãs. Entro sempre para nocautear ou finalizar, dessa vez não será diferente. Respeito muito meu adversário, mas vou entrar focado em impôr meu jogo e proporcionar um combate bonito para o público - concluiu.