icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/11/2013
10:02

Com protestos em frente ao CT e manifestações na internet, a torcida do Corinthians mostra que perdeu a paciência com o time de 2013. Sem ambições no Brasileirão, já que a possibilidade de se classificar para a Libertadores é tão baixa quanto o risco de rebaixamento (cerca de 0,5% segundo projeções matemáticas), o Timão vive um final de temporada com alguns jogadores importantes na berlinda, como Pato, Sheik, Romarinho e Danilo.

Integrante do rodízio de capitães do Corinthians, o lateral-direito Alessandro é o primeiro a sair em defesa dos companheiros. No momento de pressão, os jogadores com mais tempo de clube têm chamado a responsabilidade na hora das cobranças internas, obedecendo à orientação do presidente Mário Gobbi, logo após a eliminação na Copa do Brasil. O camisa 2, inclusive, defendeu Pato das críticas que ele tem recebido por conta do pênalti desperdiçado no jogo decisivo contra o Grêmio.

- Se você avaliar o ano dele, não teve um ano tão participativo na carreira. Foi um lance que fez com que isso tudo acontecesse, porque gerou uma desclassificação. Claro que teve a cobrança individualizada, mas nunca vi ele desmotivado. Ele se cuida, leva os horários a sério, é disciplinado com tudo que o clube coloca. Está treinando, trabalhando, teve seu momento ruim, mas está sendo muito homem de encarar essa cobrança de cabeça erguida - explicou Alessandro, saindo em defesa do companheiro.

Até mesmo jogadores nem tão experientes no grupo, como Gil, que chegou no início do ano, aproveitam o bom momento técnico para protegerem os colegas de time que não conseguem render o esperado, como Romarinho. Semana passada, a torcida protestou contra o camisa 31, o acusando de frequentar baladas.

- Não sou muito de ficar falando das pessoas. Dentro de campo, o Romarinho nos ajuda bastante. É um cara que todo mundo gosta, que dentro de campo faz o melhor. Claro que uma vez ou outra nenhum de nós vai render o esperado, mas ele tem apoio de todos aqui. Fazemos de tudo pra ele jogar bem e se sentir à vontade - afirmou o defensor.