icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/12/2013
17:15

As mudanças no futebol do Internacional começam a tomar forma para o ano de 2014. Principalmente no comando. O diretor de futebol Luís Cesar Souto de Moura e seu assessor, Eduardo Hausen, não fazem mais parte do departamento. Ambos acertaram sua saída na tarde desta terça-feira, em reunião com o presidente Giovanni Luigi.

Os dois dirigentes assumiram seus cargos ao final de 2013, quando do anúncio da contratação do técnico Dunga - o mandatário colorado apresentou todo o departamento de futebol na oportunidade. Até o momento, não há uma definição sobre a sequência do diretor Marcelo Medeiros, que também é vice-presidente eleito do clube, e de seu assessor, Roberto Melo. Moura promete a criação de um blog para contar os bastidores do ano, chamado Primeira Página, após um período de quarentena.

A campanha do Inter foi fraca sob o comando do quarteto no futebol. Apesar do título gaúcho em 2013, o Inter acabou o Brasileirão precisando pontuar para afugentar a possibilidade de queda para a segunda divisão. O nome de Roberto Melo agrada e ele deve permanecer, até pela experiência a frente das categorias de base do clube. O principal dirigente da pasta, porém, ainda não está definido.

Moura e Hausen eram representantes do movimento Coração Colorado no futebol. Com apoio político ao presidente Luigi, os votos dos conselheiros deste grupo foram determinantes na eleição do mandatário, que não teve processo direto com os sócios colorados. A tendência é que o movimento mantenha o apoio a Giovanni Luigi, até porque conta com dois dirigentes importantes no encaminhamento das obras do Beira-Rio: o presidente da Comissão de Obras, Maximiliano Carlomagno, e a vice-presidente eleita Diana Oliveira, responsável por responder pela reforma do Beira-Rio.

Outro a deixar o cargo foi o assessor de futebol Eduardo Hausen (E) (Foto: Alexandre Lops/Internacional)