icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
24/11/2014
23:11

Falcão não é o mito do futsal brasileiro por acaso. Na noite desta segunda-feira, o maior jogador da história deste esporte conseguiu a proeza de alcançar a sua décima final seguida na Liga Futsal, o Campeonato Brasileiro. O seu time, o novato Brasil Kirin, mesmo enfrentando o melhor da competição, o tradicionalíssimo Jaraguá, na casa do rival, em Santa  Catarina, venceu por 2 a 0 na prorrogação, após ser derrotado por 3 a 0 no tempo normal em uma decisão dramática. Por ter vencido por 3 a 1 em Sorocaba na partida de ida, O Brasil Kirin jogava pelo empate. Mas, ao perder no tempo normal, a vantagem do empate passou para o Jaraguá.


- Esse tipo de jogo não se joga, se ganha. Não importa como. O Jaraguá foi melhor no tempo normal. Mas o que vale é o momento na prorrogação. Vencemos. E felizmente estou entrando para a história. Dez finais consecutivas. Acho que em mil anos isso não vai acontecer com ninguém - disse Falcão após a partida.
 
Agora, o time de Jaraguá do Sul espera o vencedor de Corinthians e Intelli/Orlândia, nesta terça-feira, às 21h30, no Parque São Jorge. Na primeira partida, 0 a 0. Quem vencer, avança. Em caso de empate no tempo normal, haverá prorrogação, com o Timão jogando pelo empate para ir à final, que será nos dias 1 e 8 de dezembro. Como Falcão ganhou sete das nove decisões e desde 2010 é sempre campeão, Orlândia e Corinthians colocam as barbas de molho.


- Se eu vou ganhar mais um título ou não...Não importa. Vamos trabalhar.  Quem vier, virá forte - disse Falcão, que festejou muito com os companheiros e aproveitou para dar uma alfinetada naqueles que torcem contra o seu sucesso: - Eu carrego essa a pressão de ter de ir para a final em todos os anos. Tem um monte de papagaio só esperando eu não chegar para dizer "olha só ele já não é mais o mesmo. Mas quando isso acontecer e eu não jogar uma final, não tem problema. Quase que neste ano não deu.  Mas o nosso grupo está aí.

Recorde de público e um jogaço


Festa para o Brasil Kirin, mas tristeza para todos em Jaraguá do Sul. Confiante na grande campanha do time na fase de classificação, a torcida compareceu em peso, quebrando o recorde de público na Arena Jaraguá. O ginásio com capacidade para oito mil, recebeu 8.885 em razão da construção de uma arquibancada móvel. Ela acreditava que o time, quatro vezes campeão mas que desde 2010 não levanta o título, ratificaria o seu melhor momento desde a crise de 2012, quando teve até de pedir licença da Liga Futsal.

E MAIS:
>>Corinthians x Intelli: quem vai para a final?


Precisando da vitória, o Jaraguá começou melhor e dominou todo o primeiro tempo, sempre buscando entregar a bola para Pepita pela direita, jogando em cima de Falcão, que estava um pouco lento na defesa. De tanto tentar, Pepita abriu o placar num lance de bola parada. Apesar de ter muitas outras chances, principalmente com Pepita e Oito-Meia, o Jaraguá não conseguiu ampliar e o placar fechou em 1 a 0.


Na etapa final, a partida ficou mais aberta, com os times perdendo muitas chances. Falcão quase empatou para o Brasil Kirin, mas Baranha fez ótima defesa. O goleiro, aliás, deu a assistência para Diego ampliar para o time catarinense num chute cruzado. O time de Sorocaba tentou diminuir o placar, jogou muitos minutos com Falcão de goleiro-linha e viu Baranha agarrar tudo. Restando dois minutos, Dian aproveitou um passe errado para entrar sozinho e ampliar para 3 a 0.


No primeiro tempo da prorrogação, O Brasil Kirin jogou mais uma vez com Falcão de goleiro-linha e pressão extrema. Restando quatro segundos, Falcão tocou para Rodrigo que chutou e Felipe Melo desviou, colocando o Brasil Kirin na frente.


O segundo tempo ocorreu o inverso. Precisando empatar, foi o Jaraguá que entrou com goleiro-linha e o Brasil Kirin se fechou. Aí foi a vez de Thiago brilhar com grandes defesas. A  maior delas a sequência de três milagres, dois dentro da área, quando restavam dois minutos. Restando 40 segundos, Xuxa pegou uma sobra e soltou um balão para o gol vazio do Jaraguá, fazendo 2 a 0 e matando o jogo.


Após o apito do juiz, todos os jogadores de Sorocaba festejaram e se abraçaram, menos o goleiro Thiago. Chorando muito, ele ficou deitado perto da trave, provavelmente relembrando o ano difícil, com várias lesões.  Aliás, o goleiro foi exaltado por Falcão.


- No primeiro tempo, quando faltavam 15 segundos, eu falei: uma vai entrar, não é possível que o Baranha agarre todas. E vamos lembrar também o nosso goleiro Thiago. Quando mais precisamos, no segundo tempo da prorrogação, ele foi um monstro. Não é o melhor do mundo por acaso. E foi de uma superação incrível. Aliás, três dos nossos atletas tomaram injeção para jogar. Dois  ficaram lesionados. Um drama só. Mas avançar assim é mais gostoso - disse Falcão, que acabou calando a torcida do time no qual ele mais brilhou: o craque levou o Jaraguá aos seus quatro títulos nacionais (2005, 2007, 2008 e 2010). E agora espera fazer Sorocaba sorrir pela primeira vez na história da Liga Futsal.


Calçada da fama


Antes da partida, o goleiro Thago, do Brasil Kirin, foi homenageadon pelo Jaraguá, seu ex-clube. Ele colocou as suas mãos na calçada da fama. Thiago estava emocionao e foi muito aplaudido pelos torcedores.