icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/07/2013
19:47

A demora do Fluminense em dar uma resposta concreta se vai liberar o atacante Samuel, está começando a irritar os dirigentes do Espanyol (ESP), clube interessado em sua contratação. O presidente da equipe catalã, Joan Collet, reclamou da espera e deu um ultimato até hoje para ter um desfecho.

– A contratação de Samuel está sendo trabalhada desde a minha viagem ao Brasil e está se estendendo demais. Ele é nossa primeira opção, mas se não fechar nas próximas horas descartaremos e buscaremos outro atacante – disse ao jornal espanhol ‘Mundo Deportivo’.

Antes, os espanhóis tinham estipulado como prazo a definição na última quinta-feira. Contudo, o Flu pediu mais um tempo já que tinha o clássico com o Vasco a ser disputado, no domingo.

O agente do jogador, Gérson Oldenburg, afirmou que segue em compasso de espera para resolver a situação do atacante tricolor.

- Estou no aguardo de uma ligação do Rodrigo Caetano (diretor executivo do Fluminense). Por enquanto, estamos sem novidades - resumiu.


O Fluminense está em mãos com uma proposta de cerca de R$ 11 milhões do clube catalão para liberar o camisa 31, conforme o LANCE!Net apurou. Contudo, a falta de peças de reposição para o titular Fred tem sido um grande empecilho. Além disso, um dos principais entraves na negociação é quando o clube pretende liberar o atacante. Dono de 50% dos direitos econômicos, o Flu se mostrou satisfeito com a parte que lhe diz respeito, cerca de R$ 5,5 milhões, mas só quer liberar o jogador ao término de 2013, situação esta que não foi aceita pelo clube catalão, que quer o jogador de imediato. Desta forma, o Flu segue analisando as possibilidades em caso de perda do jogador. O técnico Abel Braga, inclusive, já foi consultado e se mostrou contra a negociação.

Dos 50% restantes dos direitos econômicos do atacante, 20% pertecem ao São José, do Rio Grande do Sul, 20% a um grupo de investidores e os outros 10% a Unimed Participações, parceira e patrocinadora do Fluminense. As partes receberão cerca de R$ 2,25 milhões e R$ 1 milhão, respectivamente, caso o negócio seja concretizado.


A demora do Fluminense em dar uma resposta concreta se vai liberar o atacante Samuel, está começando a irritar os dirigentes do Espanyol (ESP), clube interessado em sua contratação. O presidente da equipe catalã, Joan Collet, reclamou da espera e deu um ultimato até hoje para ter um desfecho.

– A contratação de Samuel está sendo trabalhada desde a minha viagem ao Brasil e está se estendendo demais. Ele é nossa primeira opção, mas se não fechar nas próximas horas descartaremos e buscaremos outro atacante – disse ao jornal espanhol ‘Mundo Deportivo’.

Antes, os espanhóis tinham estipulado como prazo a definição na última quinta-feira. Contudo, o Flu pediu mais um tempo já que tinha o clássico com o Vasco a ser disputado, no domingo.

O agente do jogador, Gérson Oldenburg, afirmou que segue em compasso de espera para resolver a situação do atacante tricolor.

- Estou no aguardo de uma ligação do Rodrigo Caetano (diretor executivo do Fluminense). Por enquanto, estamos sem novidades - resumiu.


O Fluminense está em mãos com uma proposta de cerca de R$ 11 milhões do clube catalão para liberar o camisa 31, conforme o LANCE!Net apurou. Contudo, a falta de peças de reposição para o titular Fred tem sido um grande empecilho. Além disso, um dos principais entraves na negociação é quando o clube pretende liberar o atacante. Dono de 50% dos direitos econômicos, o Flu se mostrou satisfeito com a parte que lhe diz respeito, cerca de R$ 5,5 milhões, mas só quer liberar o jogador ao término de 2013, situação esta que não foi aceita pelo clube catalão, que quer o jogador de imediato. Desta forma, o Flu segue analisando as possibilidades em caso de perda do jogador. O técnico Abel Braga, inclusive, já foi consultado e se mostrou contra a negociação.

Dos 50% restantes dos direitos econômicos do atacante, 20% pertecem ao São José, do Rio Grande do Sul, 20% a um grupo de investidores e os outros 10% a Unimed Participações, parceira e patrocinadora do Fluminense. As partes receberão cerca de R$ 2,25 milhões e R$ 1 milhão, respectivamente, caso o negócio seja concretizado.