icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
11/02/2015
13:20

Quando Junior Cigano se tornou o campeão dos pesados do UFC ao bater Cain Velásquez, em novembro de 2011, seu jogo de trocação era um dos estilos de luta mais elogiados no mundo das lutas. Depois de nocautear sete rivais em nove lutas, o brasileiro ainda derrubou Frank Mir em sua primeira defesa de título, até que a revanche contra Cain Velásquez lhe renderia o primeiro alerta de que seu jogo de trocação não seria suficiente para ir adiante. Duas lutas - uma vitória e uma derrota - depois, o catarinense se mudou para o Rio de Janeiro e começou a treinar na Nova União, renomada equipe liderada por Dedé Pederneiras. E após a primeira vitória na casa nova, a relação deve ser renegociada com Luiz Dórea, mentor de Cigano.

Líder da academia Champion, onde Cigano iniciou sua carreira até chegar ao título do UFC, Dorea conversou com o LANCE!Net durante a semana do UFC 183, onde acompanhou Anderson Silva antes da vitória contra Nick Diaz, e avaliou o trabalho feito tanto por Junior Dos Santos quanto por Antônio Cara de Sapato na academia carioca. Apesar de elogiar a iniciativa dos novos treinos, o treinador revela que prefere ter os pupilos por perto, na Bahia, e que conversou com o lutador após sua vitória na decisão apertada contra Stipe Miocic, em dezembro.

- Quando acabou a luta (contra Miocic), conversei rápido com Cigano nos Estados Unidos. Ele já fez as cirurgias dele, está se recuperando, e vamos definir tudo ainda. O treino dele na Nova União está sendo bom, ele também quer fazer wrestling nos Estados Unidos... Tudo é valido. Mas é aquela coisa: eu prefiro eles (Cigano e Cara de Sapato) perto de mim. São atletas que começaram com a gente, tem a nossa base, nossa metodologia de treino. Mas também acho bacana essa troca de informações para buscas novos treinos. O esporte é uma evolução constante. Gosto quando os atletas da Champion vão para outras equipes ver outros treinamentos. Acho que é conhecimento, muito válido. Quando um atleta ou treinador pensa que sabe tudo, é o início do fim dele - avaliou o treinador.

Cara de Sapato e Cigano em treino na Nova União (FOTO: Luis Fernando Coutinho)

Ao ser perguntado sobre a avaliação que faz da evolução de Cigano desde que começou os trabalhos na Nova União, Dórea citou a segurança do pupilo no jogo de boxe e elogiou o trabalho de Dedé Pederneiras.

- Meu pensamento é que Cigano tem sua identidade, é um atleta do boxe, começou no boxe. Ele está buscando outras orientações, mais aprendizado. A Nova União é uma grande equipe, o Dedé é nosso amigo, um grande mestre, e está somando na vida dele. Mas Cigano tem sua identidade, ele gosta de trocação. Ele pode treinar de tudo, mas na hora ele usa o que tem de mais seguro, que é a trocação. Ele melhorou na queda, defesa de quedas, continua evoluindo, ele é muito jovem - declarou.