icons.title signature.placeholder Marcello Vieira
27/06/2014
18:49

O Fluminense fez uma boa primeira parte de Campeonato Brasileiro e alcançou a segunda posição da competição antes do período de paralisação para a Copa do Mundo. Entretanto, o que mais tem chamado a atenção para o time de Cristovão Borges até aqui é a forma com que o time se apresenta nos jogos. Sempre com a posse de bola, envolvendo o adversário e buscando o gol. Curiosamente, um estilo de jogo parecido com o que tem sido visto num Mundial de muitos gols. Questionado se o Flu está praticando um futebol atualizado, o técnico Cristovão Borges respondeu de maneira afirmativa:

- Há várias equipes no mundo que jogam ofensivamente há algum tempo. Quando cheguei ao Fluminense, vi que era uma equipe de alta qualidade técnica e que poderia ser montada ofensivamente. O Fluminense é uma equipe naturalmente ofensiva. Fico feliz em ver que antes da Copa do Mundo já estávamos jogando assim, buscando o gol o tempo inteiro. É isso o que eu penso do futebol. No jogo que perdemos para o Vitória, tivemos mais de 70% de posse de bola, com 20 oportunidades mais ou menos. Jogamos o tempo inteiro assim. Logicamente, como estratégia, podemos jogar um jogo ou outro no contra-ataque, mas a essência da equipe é ofensiva. Na Copa do Mundo, é uma tendência positiva, acho maravilhoso que esteja acontecendo e tomara que fique assim até o final.

Até o momento, os treinamentos do Fluminense em Macaé tem tido ênfase na posse de bola, passes curtos e rápidos e movimentação. Até mesmo as atividades físicas são feitas com bola, metodologia adotada por treinadores europeus, entre eles Mourinho e Guardiola. Cristovão Borges confirmou a inspiração:

-  Quando me preparei para estudar, me identifiquei com muitas coisas para que pudesse trazer para executar aquilo que penso de futebol. Este treinamento com bola me possibilita fazer com que minha equipe faça aquilo que eu desejo no futebol. Este método do Mourinho é uma referência, não só o dele. Observei outros, como o Guardiola, enfim, o que há de melhor sendo feito no futebol, fui pesquisar, olhar, para aprender, para procurar saber sobre aquilo que possa servir e que seja possível adaptar para a nossa cultura. Nós estamos treinando no dia-a-dia o contato com bola. É assim que eu tenho conseguido preparar minhas equipes. É uma outra maneira, eficaz, que tem dado certo nas equipes que eu trabalho.

No treino desta tarde, no Moacyrzão, mais uma vez o Fluminense trabalhou os fundamentos citados. O objetivo é de que seja um time ainda mais envolvente e competitivo na volta do Brasileirão. A conferir.