icons.title signature.placeholder Thiago Correia
28/07/2014
08:12

Pela movimentação do lado de fora, parecia até que tratava-se de um jogo oficial neste domingo, tamanha a animação e a presença da torcida do Porto, maior do que em muitos jogos do torneio. Mas era a partida de apresentação do time. Algo inexistente no Brasil, mas já uma tradição no Estádio do Dragão.

E não trata-se apenas de chamar os jogadores um por um. O sucesso é tanto, que foi o recorde de público desse tipo de evento no Dragão: 42.661 presentes. Há toda uma cerimônia. Primeiro entram dezenas de bandeiras, e depois um grande dragão, mascote do clube.

Antes de começar a coreografia, o técnico é chamado. Julen Lopetegui entra, faz o ritual de acordar o dragão. Quando isso acontece, o animal mitológico envolve o espanhol, que saca uma espada e "mostra" quem é o seu comandante para o próximo ano.

Depois é a vez da dança. A She-Si, associação que divulga artes marciais e a cultura chinesa em Portugal, é a responsável pela dança. Depois da tradição do Porto, foi a vez de começar o novo lema: sempre preparados.

Festa tem cerca de quarenta minutos de duração (Foto: Divulgação/Saint-Étienne)

Com uma temática militar, com direito a partes camufladas no uniforme reserva, som de helicóptero, pessoas descendo em cordas e muita fumaça, como se estivessem em uma verdadeira missão.

E enfim vêm os jogadores, apresentados um a um. Brasileiros como Helton, Danilo, Kelvin e Casemiro foram muito aplaudidos. Mas o mais ovacionado foi mesmo Quaresma, grande esperança para esta temporada.

*O repórter viaja como convidado do FC Porto Brasil