icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/02/2015
13:21

Além da possibilidade de vestir as cores da camisa de um grande clube brasileiro, a chegada ao São Paulo representa para Dória o fim de um calvário. O zagueiro de 20 anos quer esquecer o primeiro ano no Olympique da Marselha (FRA), em que foi totalmente rejeitado pelo técnico argentino Marcelo Bielsa. De quem, aliás, o brasileiro não esconde a insatisfação.

Apresentado nesta segunda-feira como reforço do Tricolor para 2015, o ex-jogador do Botafogo deixou bem claro como era a relação com Bielsa na França.

- Vou até ser um pouco grosso para responder, mas não quero falar dele. Como ele fazia lá, ele não queria falar da mim lá. Então, pergunta pra ele, como ele mandava perguntar pro Dória lá - declarou o jogador, num mix de ironia e desabafo.

Dória foi contratado pelo Olympique de Marselha em setembro do ano passado e, em sua chegada, o clube francês o anunciou como "o futuro do Brasil". No entanto, a expectativa não se confirmou, principalmente porque ele esbarrou em Bielsa.

Poucos dias depois da chegada do defensor, o treinador deu entrevista em que criticou duramente a direção do clube pela contratação. Reclamou de não ter sido consultado. Resultado: Dória nunca entrou em campo pelo time principal do Olympique, tendo sua passagem resumida por jogos no time B e aparições no banco de reservas no principal.

- Pelo que fiquei sabendo, ele ficou chateado porque não foi consultado. Então acho que ele quis provar que não precisava me utilizar. Na chegada ele falou que era para eu trabalhar, só isso. Quem conversava mais comigo eram os auxiliares dele, e ficavam constrangidos. E tentavam me passar o melhor - afirmou Dória.

Bielsa, conhecido como "El Loco", chegou ao Olympique no início da temporada passada na França e já virou ídolo da torcida. Atualmente, a equipe ocupa a vice-liderança do Campeonato Francês, com 48 pontos, dois a menos do que o líder Lyon, e empatado com o poderoso PSG, mas na frente no critério de desempate.

ELOGIOS A MURICY

Em contrapartida ao desafeto Bielsa, no São Paulo Dória chega com moral com o técnico Muricy Ramalho. Foi o comandante quem insistiu na contratação do defensor canhoto e já pretende utilizá-lo o mais rápido possível. O zagueiro agradece.

- Aqui já começa de outra forma. Apesar de ser dois jeitos. Na Europa, eles são muito frios. Até jogador com mais moral no clubep  tratamento era o mesmo. Pessoal não muito em cima, abraçando. Lá é seco, estão lá para trabalhar e acabou. Aqui tem mais conversa. Já começa de uma forma melhor. Fico feliz de trabalhar com o Muricy e dele ter pedido a minha contratação - definiu Dória.