icons.title signature.placeholder Guilherme Amaro
icons.title signature.placeholder Guilherme Amaro
05/07/2013
07:06

A tentativa do Santos de repatriar o ídolo Robinho ganhou mais um capítulo na tarde da última quinta-feira. A representante do atacante, Marisa Alija Ramos, se reuniu com dirigentes do Milan para saber se a pedida inicial de 10 milhões de euros (R$ 29 mi) poderia ser reduzida. E a resposta foi positiva. Segundo o jornal italiano Corriere dello Sport, o valor caiu para 8 milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões).

Assim que recebeu os valores pedidos pelo clube italiano, Marisa encaminhou para o vice-presidente do Peixe, Odílio Rodrigues, que avaliará com o Comitê de Gestão antes de enviar a resposta.

– Inicialmente, tínhamos apenas a proposta dos 10 milhões de euros. Por esses valores, o Santos não tem condições. Sendo assim, vamos analisar este novo pacote, com contrato de três anos. Sabemos que a torcida do Santos deseja o Robinho e iremos ver se o desejo pode ser atendido – afirmou Odílio Rodrigues, em entrevista coletiva na manhã de quinta-feira, antes de receber os valores pedidos pelo Milan.

O preço inicial que o vice santista se referiu é a proposta intermediada pelo empresário italiano Mino Raiola, que apresentou valores elevados. O Santos, porém, deixou de negociar com ele e passou a tratar diretamente com Marisa, que chegou a Milão na quarta-feira.

Aos 29 anos e de férias na Baixada Santista, Robinho tem contrato com o Milan até agosto de 2014, mas deseja voltar ao Brasil. Em busca de visibilidade, o atacante aceita até reduzir seu salário. Tudo depende do acerto entre os clubes.

Bate-Bola: Marisa Alija Ramos, procuradora do Robinho, em entrevista ao LANCE!Net

Como foi a conversa com dirigentes do Milan?
Eu levei a confirmação do interesse do Santos para o Milan ontem e eu ouvi as condições do clube.

Então o Milan aceita negociar?
O Milan abriu a possibilidade e me passou dois valores, um mínimo e um máximo. Assim que eles passaram, eu já encaminhei para o Odílio Rodrigues (vice-presidente do Santos), que vai se reunir com outros dirigentes e avaliar.

O Odílio falou que o Robinho que tinha indicado o Mino Raiola para negociar com o Milan...
Não vou entrar em polêmica. O Robinho deixou claro que eu sou a representante dele. Tanto que agora que o Santos falou comigo é que a negociação está caminhando.

Após ser vendido em 2005, Robinho voltou ao Santos em 2010 (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação)

Veja os capítulos da novela Robinho no Peixe

Assustou
Depois de tentar – sem sucesso – a contratação do Rei do Drible no começo do ano, o Santos voltou a procurar o jogador e o Milan em maio. Os valores pedidos, no entanto, espantaram a diretoria alvinegra. O clube italiano seguiu querendo 10 milhões de euros (cerca de R$ 29 mi) e o atacante não abriu mão de R$ 1,2 milhão de salário por mês. Com tais cifras, o Peixe se recusou a negociar. Negócio esfriou...

Alternativa
Para baratear a operação, os rossoneros sugeriram a realização de amistosos entre as equipes, cujas rendas ficariam integralmente com o Milan. A manobra seria parecida com a realizada entre Santos e Barcelona, na venda de Neymar, mas com os papéis invertidos. Mesmo assim, o Peixe não se animou, já que os valores continuaram altos, sobretudo o salário do atacante. Mas, com o tempo, o cenário mudou...

Quem manda?
A advogada de Robinho, Marisa Alija Ramos, desautorizou Mino Raiola a negociar pelo jogador. O agente italiano era quem vinha intermediando as tratativas entre Peixe e Milan. Segundo ela, o Rei do Drible nunca pediu R$ 1,2 milhão por mês, como Mino afirmava. Assim, a negociação voltou a caminhar e, na última semana, a procuradora do atacante viajou à Itália para se reunir com os rossoneros. Agora resolve?

A tentativa do Santos de repatriar o ídolo Robinho ganhou mais um capítulo na tarde da última quinta-feira. A representante do atacante, Marisa Alija Ramos, se reuniu com dirigentes do Milan para saber se a pedida inicial de 10 milhões de euros (R$ 29 mi) poderia ser reduzida. E a resposta foi positiva. Segundo o jornal italiano Corriere dello Sport, o valor caiu para 8 milhões de euros (cerca de R$ 23 milhões).

Assim que recebeu os valores pedidos pelo clube italiano, Marisa encaminhou para o vice-presidente do Peixe, Odílio Rodrigues, que avaliará com o Comitê de Gestão antes de enviar a resposta.

– Inicialmente, tínhamos apenas a proposta dos 10 milhões de euros. Por esses valores, o Santos não tem condições. Sendo assim, vamos analisar este novo pacote, com contrato de três anos. Sabemos que a torcida do Santos deseja o Robinho e iremos ver se o desejo pode ser atendido – afirmou Odílio Rodrigues, em entrevista coletiva na manhã de quinta-feira, antes de receber os valores pedidos pelo Milan.

O preço inicial que o vice santista se referiu é a proposta intermediada pelo empresário italiano Mino Raiola, que apresentou valores elevados. O Santos, porém, deixou de negociar com ele e passou a tratar diretamente com Marisa, que chegou a Milão na quarta-feira.

Aos 29 anos e de férias na Baixada Santista, Robinho tem contrato com o Milan até agosto de 2014, mas deseja voltar ao Brasil. Em busca de visibilidade, o atacante aceita até reduzir seu salário. Tudo depende do acerto entre os clubes.

Bate-Bola: Marisa Alija Ramos, procuradora do Robinho, em entrevista ao LANCE!Net

Como foi a conversa com dirigentes do Milan?
Eu levei a confirmação do interesse do Santos para o Milan ontem e eu ouvi as condições do clube.

Então o Milan aceita negociar?
O Milan abriu a possibilidade e me passou dois valores, um mínimo e um máximo. Assim que eles passaram, eu já encaminhei para o Odílio Rodrigues (vice-presidente do Santos), que vai se reunir com outros dirigentes e avaliar.

O Odílio falou que o Robinho que tinha indicado o Mino Raiola para negociar com o Milan...
Não vou entrar em polêmica. O Robinho deixou claro que eu sou a representante dele. Tanto que agora que o Santos falou comigo é que a negociação está caminhando.

Após ser vendido em 2005, Robinho voltou ao Santos em 2010 (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação)

Veja os capítulos da novela Robinho no Peixe

Assustou
Depois de tentar – sem sucesso – a contratação do Rei do Drible no começo do ano, o Santos voltou a procurar o jogador e o Milan em maio. Os valores pedidos, no entanto, espantaram a diretoria alvinegra. O clube italiano seguiu querendo 10 milhões de euros (cerca de R$ 29 mi) e o atacante não abriu mão de R$ 1,2 milhão de salário por mês. Com tais cifras, o Peixe se recusou a negociar. Negócio esfriou...

Alternativa
Para baratear a operação, os rossoneros sugeriram a realização de amistosos entre as equipes, cujas rendas ficariam integralmente com o Milan. A manobra seria parecida com a realizada entre Santos e Barcelona, na venda de Neymar, mas com os papéis invertidos. Mesmo assim, o Peixe não se animou, já que os valores continuaram altos, sobretudo o salário do atacante. Mas, com o tempo, o cenário mudou...

Quem manda?
A advogada de Robinho, Marisa Alija Ramos, desautorizou Mino Raiola a negociar pelo jogador. O agente italiano era quem vinha intermediando as tratativas entre Peixe e Milan. Segundo ela, o Rei do Drible nunca pediu R$ 1,2 milhão por mês, como Mino afirmava. Assim, a negociação voltou a caminhar e, na última semana, a procuradora do atacante viajou à Itália para se reunir com os rossoneros. Agora resolve?