icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/11/2014
18:19

O que já era difícil ficou ainda mais complicado. Após a derrota do Bahia para o Palmeiras, neste domingo, por 1 a 0, o tricolor baiano estagnou na vice-lanterna do Brasileiro, com apenas 31 pontos somados, e viu o risco de rebaixamento chegar a 87%.

Ainda assim, o time só depende de si para escapar da degola, mas tem pela frente uma difícil missão: vencer cinco dos seis jogos restantes do campeonato. O abatimento dos jogadores ao final do confronto com o Palmeiras não afetou Gilson Kleina, que mantém a fé na permanência do Bahia na elite do futebol brasileiro.

- O Bahia para mim fez um grande primeiro tempo, foi consistente. Infelizmente saímos atrás, fomos tomar um gol de rebote de escanteio, ali que foi a nossa falha. Vi a equipe fortalecida, não era o resultado que queríamos, se o torcedor está chateado, nós também. Mas temos que acreditar sempre. São seis jogos, 18 pontos. Essa era uma rodada espetacular para a gente pontuar, mas não conseguimos.

Apesar de lamentar mais uma derrota como mandante no campeonato, Kleina fez coro ao elenco tricolor e à diretoria do clube, que reclamaram de um pênalti não marcado em favor do Bahia.

- Pênalti claro, não dá. O quarto árbitro fica atrás e não viu? Isso aí que temos que lamentar. O Palmeiras fez 28 faltas e não tomaram cartão. A gente precisa uniformizar isso ai também. Agora eu falo, sou punido.

O Bahia inicia a sua sequência decisiva no Brasileirão contra o Goiás, no próximo domingo, às 19h30 da noite, no Serra Dourada.