Entrevista com Leco

Se for reeleito em abril, Leco terá três anos de mandato, sem chance de nova reeleição (Foto: Eduardo Viana)

Bruno Grossi
10/11/2016
16:26
São Paulo (SP)

A reforma do estatuto do São Paulo está cada vez mais perto de ser efetuada. Nesta quinta-feira, o texto final foi concluído após alterações sugeridas por emendas enviadas por sócios e agora aguarda aprovação no conselho deliberativo. Uma votação está prevista para o dia 16.

Na redação final, está a proposta de extinguir as chances de reeleição de um presidente, que teria apenas três anos de gestão. No modelo atual, o período de mandato é o mesmo, mas com possibilidade de duas reeleições. O próximo pleito será em abril de 2017, quando começarão a valer as novas regras.

Outra possível mudança no sistema eleitoral do Tricolor é a participação de sócios e até sócios-torcedores em votação direta para eleger o presidente do clube. Quem for eleito em 2017 terá 12 meses para realizar estudo que viabilize a integração dos associados como eleitores ao lado dos conselheiros já para o pleito seguinte, em 2020.

Há uma resistência de oposicionistas contra o fato das votações no conselho continuarem abertas. Um grupo deseja que os votos sejam secretos, mas o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva busca conciliação com os partidos políticos para que esse detalhe não trave a reforma do estatuto.

As sugestões de criar um conselho administrativo, de tornar o presidente remunerado e de tornar a diretoria um órgão profissional e executivo também foram incluídas no texto final. Depois da votação no conselho deliberativo, no dia 16, uma assembleia geral de sócios será realizada em dezembro.