Buffarini - San Lorenzo

Buffarini comemora gol com a camisa do San Lorenzo (Foto: San Lorenzo/Divulgação)

Marcio Porto
21/07/2016
16:26
São Paulo (SP)

O são Paulo ainda aguarda aval da Fifa para oficializar a contratação do lateral-direito Buffarini, mas admite o risco de a negociação não sair por conta dos trâmites burocráticos que ultrapassaram o fechamento da janela de transferências internacionais, na última terça-feira. Neste sentido, o clube exime totalmente a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) da responsabilidade por um possível insucesso no caso do jogador do San Lorenzo (ARG).

Segundo o São Paulo, a CBF não tem culpa porque os documentos necessários para fechar a contratação foram enviados às 23h59, restando segundos para o fechamento da janela. Neste caso, não haveria o que a entidade fazer para respeitar o prazo imposto pela Fifa. Os documentos foram enviados à entidade máxima do futebol após a meia-noite.

A esperança para o negócio não melar é que a Fifa entenda que os clubes concluíram suas partes dentro do prazo, antes do fechamento da janela. Neste caso, entraria em um caso de "validade de exceção".

O São Paulo não vê culpados no episódio. Por algumas razões elencadas pelo clube, a negociação se arrastou até as últimas horas da terça-feira. A versão relatada pela diretoria aponta que a parte do Tricolor foi concluída 20 minutos antes do fechamento da janela. Aí entrou o San Lorenzo (ARG), o último a enviar a documentação necessária para confirmar a transação. Nem ao clube argentino o Tricolor atribui culpa, pois argumenta que cada sistema funciona de uma maneira e não dá para julgar a velocidade e eficiência de algo tão específico.

A negociação se arrastou até os últimos minutos por algumas razões. Uma que o São Paulo tentou ao máximo reduzir o valor da pedida do San Lorenzo (ARG), que insistiam em valor acima de 2 milhões de dólares para liberar um de seus atletas mais queridos pela torcida. A diretoria do Tricolor garante que fechou o acordo em 1,8 milhão (R$ 5,9 milhões), depois de ceder ao montante que julgava ideal para a aquisição. Também houve circunstâncias impresisíveis, como a dificuldade para encontrar o presidente do San Lorenzo (ARG), que participava de uma cerimônia.

O São Paulo vinha muito receoso em fazer o investimento em Buffarini, até que na última sexta-feira concluiu a venda de Alan Kardec para a China, por 5 milhões de euros (cerca de R$ 18 milhões). Com isso, passou a cogitar atender o desejo do técnico Edgardo Bauza, fã confesso do futebol do lateral-direito com quem foi campeão da Libertadores em 2014, pelo San Lorenzo (ARG).