Libertadores - São Paulo x Trujillanos (foto:Mauro Horita/LANCE!Press)

Patón, enfim, começa a colher frutos do trabalho feito no São Paulo desde janeiro (Foto:Mauro Horita/LANCE!Press)

Marcio Porto
09/04/2016
07:10
São Paulo (SP)

Depois de muitas críticas e decisões controversas, o técnico Edgardo Bauza chega às decisões do semestre em seu melhor momento no São Paulo.  Neste domingo, contra o São Bento, no encerramento da primeira fase do Campeonato Paulista, o time luta para manter a série de sete jogos sem perder. Uma nova vitória dará ainda mais ânimo para encarar o River Plate (ARG), na próxima quarta-feira, no Morumbi, pela Copa Libertadores, e tranquilidade para o técnico, que começa a colher os frutos do trabalho.

Na goleada por 6 a 0 sobre o Trujillanos (VEZ), na última terça-feira, Bauza viu algumas de suas apostas darem a resposta esperada. Além de o sistema tático (4-2-3-1), de que ele não abre mão, ter funcionado perfeitamente, notou-se mais uma vez o bom momento de alguns, como Ganso, João Schmidt e Calleri.

A presença do volante de 22 anos no time titular, e com bom futebol, é creditada a Bauza dentro do departamento de futebol do São Paulo. Isso porque o jovem estava para ser emprestado ao Avaí, já tinha topado mudar de ares para ter mais chances, mas a transferência foi vetada a pedido de Patón. Hoje, Schmidt encanta a torcida e desbancou Thiago Mendes, um dos melhores do ano passado e que ainda não se reencontrou nesta temporada.

Em Sorocaba, o São Paulo lutará para terminar na liderança do Grupo C e, assim, jogar em casa contra o Audax nas quartas de finais. Para isso, terá de vencer o São Bento e torcer para o rival de grupo não derrotar o Santos, na Vila Belmiro.

Para Patón, a classificação no Paulista era fundamental para seus planos no clube e ele agora já visa também o importante duelo contra o River, pela Libertadores. Tanto que decidiu poupar seus principais jogadores em Sorocaba entre eles Schmidt e Ganso – Calleri cumprirá suspensão automática.

A expectativa é para que, depois da “tempestade”, o São Paulo, enfim, encontre o rumo. A goleada sobre os venezuelanos animou, mas os dois próximos jogos serão fundamentais para o time chegar como quer Patón nas decisões. Ao trabalho!