Bruno Grossi
10/11/2016
07:05
São Paulo (SP)

O São Paulo trata a chegada de Wellington Nem como "marco para novo momento" do clube. A análise é feita baseada nas impressões deixadas pelo atacante entre 2011 e 2013 no futebol brasileiro e na procura frequente de rivais ao Shakhtar Donetsk (UCR) nos últimos anos. Mas o desempenho europeu do primeiro reforço para 2017 foi aquém do esperado.

Em três temporadas, Nem disputou somente 50 partidas oficiais e marcou oito gols - os ucranianos costumam ter uma quantidade maior de amistosos em comparação aos brasileiros. Na temporada vigente, fez apenas 11 jogos, não atua desde 9 de setembro e só voltou a ser relacionado nos dois últimos jogos da equipe, nos dias 3 e 6 de novembro.

A forte concorrência de outros brasileiros no setor ofensivo atrapalhou a ascensão de Nem no Shakhtar no início da aventura no leste europeu. Agora, porém, a equipe já não conta mais com Douglas Costa, Alex Teixeira e Ilsinho e mesmo assim o atacante permanece como opção no banco. O ex-corintiano Dentinho e Bernard, outro que estava no alvo tricolor, já se firmar.

Para a diretoria são-paulina, Bernard não se encaixa no perfil procurado pelo clube, com Nem em vantagem na análise por ser mais goleador. Em média, o escolhido faz 0,16 gol por partida, contra 0,13 de Bernard, que fez 107 jogos e 14 gols pelo Shakhtar, também em três temporadas.

- Quero ajudar o time a ser campeão e colocar o São Paulo onde merece. Felizmente deu tudo certo e agora poderei vestir essa camisa. É uma nova etapa na minha carreira, e isso me motiva muito. Quero levar alegria para dentro de campo. A torcida pode esperar um guerreiro que vai pra cima dos adversários - prometeu o atacante de 24 anos.

REENCONTROS

No São Paulo, Wellington Nem encontrará dois jogadores com quem já atuou na carreira iniciada em 2011 entre os profissionais. No primeiro ano, durante o empréstimo ao Figueirense, fazia parceria elogiada com o lateral Bruno pelo lado direito. No ano seguinte, o atacante voltou ao Flu acompanhado pelo ala e se juntou ao lateral-esquerdo Carlinhos. Juntos, os três foram campeões da Taça Guanabara, do Campeonato Carioca e do Brasileirão. Já na Ucrânia, jogou com dois ex-tricolores: Ilsinho e Marlos.

- Eles sempre elogiaram muito o clube e me passaram ótimas referências. Sei que a equipe conta com uma grande estrutura e uma torcida muito fanática. Espero ficar marcado por conquistas - destacou.