Russel Dias
06/09/2016
08:00
Santos (SP)

O Santos pode voltar aos Estados Unidos seis anos após ser convidado para inaugurar a Red Bull Arena, em 2010. A decisão de aceitar o convite para disputar a Miami Cup, em janeiro, está nas mãos do Comitê de Gestão, órgão composto por nove membros, incluindo o presidente Modesto Roma Júnior e seu vice, César Conforti.

A diretoria vê o convite com bons olhos, já que busca expandir sua marca fora do Brasil. Recentemente, o clube contratou o segundo colocado na última eleição presidencial, José Carlos Peres, para ser gerente de marketing internacional.

Além disso, o Santos busca lucrar na pré-temporada e é uma das principais atrações do torneio, que tem o New York Cosmos, time em que Pelé jogou, como participante.

O técnico Dorival Júnior se mostrou contrário à ideia, por acreditar que o time faria uma preparação física mais adequada no próprio CT Rei Pelé, já que viagens e falta de aparelhos de academia podem atrapalhar o elenco, que sonha em disputar a Libertadores em 2017.

Curiosamente, na última vez em que o Santos esteve nos Estados Unidos, em março de 2010, Dorival era o técnico do time. Na ocasião, o time perdeu por 3 a 1 para o New York Red Bull.