Leandro Damião

Leandro Damião rescindiu com o Santos e acertou com o Betis (ESP) (Foto: Ricardo Saibun / Santos FC)

Léo Saueia
05/04/2016
06:05
São Paulo (SP)

Apesar de ter obtido decisão favorável na Justiça de São Paulo obrigando o Santos a pagar multa de R$ 74 milhões por conta da rescisão contratual do centroavante Leandro Damião com o clube paulista, a Doyen Sports sabe que o Peixe pretende entrar com recurso e a disputa pela quantia ainda deve se arrastar nos tribunais.

Apesar de não confirmar oficialmente ter conhecimento da decisão expedida na última segunda-feira, o Alvinegro já está agindo nos bastidores para impedir que o clube seja obrigado a depositar nos próximos três dias a quantia cobrada pelo fundo maltês.

Ciente das ações do Peixe, a Doyen Sports se dispõe a propor um acordo ao clube da Vila Belmiro para evitar desgaste ainda maior na relação, que já é estremecida por conta de diversos outros processos, e solucionar o mais rápido possível o caso Damião, que pode comprometer seriamente as finanças do Santos para os próximos anos.

Dona também de 80% dos direitos econômicos do meia Lucas Lima, a Doyen tentará se reaproximar do presidente Modesto Roma júnior nos próximos meses, justamente para evitar novo litígio com o clube, uma vez que Modesto tem batido o pé em relação à venda do camisa 20. O Santos detém apenas 10% dos direitos e não pretende se desfazer de um de seus melhores jogadores por pouco dinheiro. 

Recentemente, Santos e Doyen voltaram a se desentender por conta da negociação do atacante Geuvânio com o Tianjin Quanjian, da China. O clube alega que a venda de 35% dos direitos econômicos do jogador ao grupo, feita por Odílio Rodrigues em 2014 em seus últimos meses de mandato, foi ilegal e tenta reaver a porcentagem. Desta forma, os 11 milhões de euros (R$ 49 milhões) estão congelados até o imbróglio se resolver.

Outro ponto que prejudica a relação é um empréstimo feito pela Doyen no início de 2015, logo após Modesto Roma assumir a presidência do clube. Na ocasião, o fundo maltês desembolsou cerca de 600 mil euros para o Santos quitar dívidas com Leandro Damião, mas a verba, segundo a Doyen, foi utilizada para outros fins e ainda não foi devolvida. O fundo cobra também dívidas referentes à negociação do meia Felipe Anderson com a Lazio (ITA), em meados de 2013.