Léo Saueia e Russel Dias
13/09/2016
17:49
Santos (SP)

Sem significado em outros clubes, a camisa 45 passou a ser especial no Santos, desde que Geuvânio, atualmente no Tianjin Quanjian (CHN), passou a usar o número (em 2014). O herdeiro do manto é Walterson, recém-promovido ao profissional do Peixe. Ao afirmar, em entrevista ao L!, que se espelha no atacante, o novo Menino da Vila foi respondido por Geuvânio.

- Fiquei muito feliz com as palavras do Walterson. É sempre legal saber que você serve de inspiração para alguém. Só tenho a agradecer a Deus por ter conquistado o carinho e a admiração de tantas pessoas. Não cheguei a conhecer o Walterson, mas quero desejar muita sorte a ele e que ele seja muito feliz no Peixe - retribuiu Geuvânio, campeão paulista em 2015.

Também em entrevista ao LANCE!, Geuvânio deu alguns conselhos a Walterson, que sonha com uma vaga no time titular.

"Aproveita ao máximo a oportunidade de vestir uma camisa tão grandiosa quanto à do Santos", Geuvânio

- Eu diria para não desistir dos seus sonhos, lutar muito, trabalhar muito, tentar evoluir a cada dia, porque em algum momento ele vai ser recompensado. E aproveitar ao máximo a oportunidade de vestir uma camisa tão grandiosa quanto à do Santos, de tanta história e tantos títulos - disse.

Geuvânio começou no profissional do Santos em 2012 e foi vendido em janeiro deste ano. No Peixe, disputou 114 jogos, fez 24 gols e deu 23 assistências.

Já Walterson, de 21 anos, foi contratado nesta temporada, após defender o São Bernardo. Ao disputar a Copa Paulista pelo time B, chamou a atenção de Dorival Júnior, que busca um atacante de velocidade para atuar pelos lados.

No entanto, no duelo contra o Botafogo, nesta quarta-feira, na Arena da Ilha do Governador, o garoto deve ficar no banco mais uma vez, já que Dorival deve escalar Jean Mota como titular na vaga de Copete, suspenso.