Rafael Marques festeja no Allianz Parque (foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras)

Rafael Marques festeja no Allianz Parque (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras)

LANCE!
09/01/2016
08:00
São Paulo (SP)

Os clubes chineses estão varrendo o futebol brasileiro, oferecendo um caminhão de dinheiro aos principais atletas do país e desmanchando equipes, como o Corinthians, atual campeão brasileiro. Enquanto os rivais lutam para não perder mais atletas para o país asiático, o Palmeiras faz o caminho contrário: a briga é para tirar um jogador de lá, Rafael Marques.

As tratativas vêm se arrastando, e o jogador não tem mais contrato com o Verdão. Os brasileiros não estão dispostos a pagar os 1,5 milhão de dólares (R$ 6 milhões) da multa rescisória com o Henan Jianye (CHN), clube que já recusou duas ofertas palmeirenses, todas por valores abaixo de R$ 3 milhões.

Após o segundo 'não', os chineses fizeram uma contraproposta, e na sexta o Alviverde enviou uma nova pedida ao Henan Jianye (CHN). Entre Palmeiras e Rafael Marques, um acordo válido por três anos está bem encaminhado. Resta a liberação dos chineses, que as partes esperam receber diante do desejo do atacante em permanecer no Verdão.

Renovar com Rafael serviria para quebrar uma série de saídas - por diferentes motivos - de goleadores do Palmeiras. Em 2013, Barcos, principal destaque e artilheiro de 2012, foi para o Grêmio após pedir para ser negociado. No ano seguinte foi a vez de Alan Kardec, então artilheiro da equipe de Gilson Kleina, ir para o São Paulo após uma negociação desgastante para tentar renovar.

Depois do camisa 14, seu reserva, Henrique, foi bem no Campeonato Brasileiro, terminou como artilheiro disparado do Verdão no torneio, mas saiu ao fim de 2014 também graças à cláusula de compra elevada. Ao menos desta vez, a novela parece caminhar para um final feliz com o vice-artilheiro de 2015, autor de 15 gols, sendo cinco deles marcados em clássicos.