Prass

Fernando Prass tem futuro incerto, mas diretoria diz que vai mantê-lo - FOTO: Cesar Greco

Fellipe Lucena e Thiago Ferri
24/11/2017
08:00
São Paulo (SP)

Um ano de duração, com bases semelhantes às atuais. Este é o contrato que o Palmeiras preparou para Fernando Prass assinar, e que inclusive já está pré-registrado em um sistema da CBF. Mas as partes ainda precisam se reunir para bater o martelo, e o goleiro mantém a cautela enquanto isso não acontece. Ele fica livre em 31 de dezembro.

Prass disse na segunda-feira que Giuseppe Dioguardi, seu empresário, viajaria a São Paulo para ter uma "primeira reunião" com a diretoria do Palmeiras. A expectativa era de que o encontro ocorresse ainda nesta semana, mas pessoas ligadas ao jogador dizem que ele não foi agendado até o momento. O clube confirma apenas que a conversa ainda não ocorreu.

Nesta quinta-feira, vazou entre torcedores a informação de que o Palmeiras havia registrado o novo vínculo do camisa 1 no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. O clube esclareceu que fez uma espécie de "pré-registro", um procedimento padrão para agilizar a documentação quando a renovação for definida. Se não for, o processo é cancelado.

Desde setembro, a diretoria alviverde trata a situação como encaminhada e dá a permanência do ídolo por mais uma temporada como certa. Prass não está tão convicto: ele tem repetido que já gostaria de ter a situação resolvida há muito tempo e não esconde o incômodo com a demora para bater o martelo. Todas as sondagens que surgiram de outros clubes foram rechaçadas.

O goleiro considera a questão financeira fácil de ser resolvida, assim como o tempo de contrato. Justamente por isso, espera que os dirigentes lhe deixem convicto de que realmente gostariam de mantê-lo. Paralelamente, o clube avançou em negociações com Weverton, goleiro do Atlético-PR, e César, do Londrina - nenhum dos dois foi anunciado até o momento.

- Eu já falei, minha vontade é ficar no Palmeiras. Óbvio que sou profissional, quero ser bem remunerado, o Palmeiras hoje tem condição de pagar, investir e valorizar seus jogadores, mas quem é mais próximo de mim sabe que não é dinheiro que vai fazer eu ficar no Palmeiras ou não. A partir do momento que o Palmeiras quiser ficar comigo e tiver realmente interesse e vontade de contar comigo, não tem problema nenhum eu sentar e renovar o contrato - declarou Prass, no último dia 16.

Segunda-feira, diante do Botafogo, o goleiro titular do Palmeiras será Jailson. Prass cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo, mas hoje é o dono da vaga. No meio da temporada, com Cuca no comando, ele chegou a perder esta condição para o próprio Jailson.

Fernando está no Palmeiras desde 2013 e já soma 255 jogos, com direito a títulos da Série B (2013), Copa do Brasil (2015) e Brasileirão (2016).