Thiago Santos (FOTO: Fellipe Lucena)

Thiago Santos estava sorridente nesta sexta-feira (FOTO: Fellipe Lucena)

LANCE!
03/06/2016
17:18
São Paulo (SP) 

Thiago Santos apareceu sorridente para conceder entrevista coletiva nesta sexta-feira, dia seguinte à vitória do Palmeiras sobre o Grêmio, por 4 a 3. Motivos não faltavam: principal surpresa no time titular, improvisado como zagueiro, ele marcou seu primeiro gol pelo clube em 29 jogos.

- É um dia especial para mim, primeiro gol com a camisa do Palmeiras. Minha filha Emily, de seis anos, me cobrava muito. Não fiz muitos gols no América-MG, mas alguns que eu fiz ela lembrava. "Pô, papai, você nunca faz gol no Palmeiras". Graças a Deus saiu, muitos familiares mandando mensagens - disse ele.

Domingo, contra o Flamengo, a tendência é que Thiago Martins volte ao time titular ao lado de Vitor Hugo. Thiago Santos não preocupa com a possibilidade de perder a vaga, diz que quem ganha com a disputa é o time e não descarta jogar novamente na zaga.

- Eu prefiro ser volante, mas estou aqui para ajudar. Não adianta eu falar que vou jogar em uma posição que não sei jogar, na zaga é mais fácil para eu me adaptar. De atacante não tem como eu jogar (risos). Se ele precisar de mim na zaga de novo eu vou - disse.

Cuca disse após a partida que sua ideia era ter apenas Vitor Hugo como zagueiro. Thiago Santos, apesar de atuar mais recuado do que o convencional, não foi um zagueiro-zagueiro, de acordo com o treinador. Sua missão era adiantar para compor o meio de campo e impedir o Grêmio de levar vantagem no setor. Cuca fez elogios ao atleta, mas ele admitiu, em sua auto-crítica, que o cacoete de jogar pelo meio o atrapalhou no lance do segundo gol gaúcho.

- Foi meu primeiro jogo como zagueiro, é diferente demais, outro posicionamento. No segundo gol, tive uma atitude mais de volante do que de zagueiro, porque eu saí para dar o bote no cara que vinha de trás. Se eu estivesse habituado, eu ficaria no Giuliano. Mas agradeço muito ao professor Cuca e se ele precisar estou disponível.